ll

sexta-feira, setembro 29, 2006

Luz a mais


[ clique para ampliar ]

Nesta urbanização de grande dimensão, no Alto das Vinhas, ainda não se iniciou a construção dos edifícios, mas já se encontram concluídas muitas infraestruturas, incluindo a rede de iluminação pública: o que é de louvar. No entanto, o que não parece muito positivo é que todas as noites se acendam as dezenas de lâmpadas, apesar de se tratar de uma zona ainda desabitada. Numa altura em que se sensibilizam os cidadãos para a importância de eliminar, nas suas casas, os consumos supérfluos de energia, não se compreende para quê tanto desperdício. A EDP, neste caso, anda mal, pois não está a cumprir o primeiro mandamento do seu próprio "top 10" da eficiência energética: «Evite ter as luzes ou os equipamentos ligados, quando não for necessário» [leia aqui].

quinta-feira, setembro 28, 2006

Ao encontro da semente

O blogue Herborista da Terra anuncia a realização na Fortaleza de Santiago, em Sesimbra, a 21 e 22 de Outubro de 2006, da iniciativa Ao encontro da Semente, composta por exposição, oficinas, palestras, animação e "danças das colheitas":
«O Encontro da Semente tem por intenção reunir todos os anos uma mostra do património agrícola e da grandeza da biodiversidade vegetal do nosso país. É o local apropriado ao encontro dos nossos hortelões, agricultores e todos os aqueles que têm paixão pelo trabalho da terra; aí têm uma soberana oportunidade para mostrar, trocar e falar sobre as respectivas sementes.»

«[...] Camões Vieira, Pessoa, são heterónimos. São heterónimos de uma coisa fundamental que é o quê, afinal? É o desejo no eu de que haja no mundo alguma coisa que seja a realização plena do homem! Entendendo que o homem não é apenas esta coisa que vive aí uns anos e morre, mas que é alguma coisa de eterno, como uma centelha de fogo. É a centelha que se apaga, mas é também o fogo que sempre existe no mundo, qualquer aspecto que tomemos! Então o Camões, Vieira, Pessoa são aspectos de várias épocas, de várias tonalidades, de vários temperamentos, com o mesmo ideal de que haja no mundo alguma coisa que seja a realização plena do homem. A ideia de que essa realização plena não existirá se nós escolhermos, se fizermos tal coisa e abdicarmos de tal outra! Mas que essa realização plena é a disponibilidade para tudo. Uma disponibilidade que é ao mesmo tempo quieta, sentada, passiva, e uma disponibilidade que tem um ideal. É a disponibilidade para o tudo, nos vários aspectos com que o tudo nos aparecer.»

Agostinho da Silva
in "O Império acabou: e agora?"

Fóssil


[ clique para ampliar ]
Fóssil no Espichel. Fotografia de Behold

quarta-feira, setembro 27, 2006

Entropia


[ clique para ampliar ]
Choupos na Maçã. Veja a foto anterior:

«Porque, no fundo, eu confio que o mundo não possa ser ilógico, não possa estar mal organizado, que as coisas sucedem por qualquer motivo. Como quando chego ao fim de um cálculo matemático, se ele não dá certo, alguma asneira fiz pelo caminho - multipliquei mal, somei mal alguma fracção, alguma coisa fiz. E, portanto, se algo me sucede na vida que seja realmente mau, que atrapalha tudo - em alguma coisa errei na minha maneira de ser e só me convém e compete reflectir sobre isso para ver se para o futuro não faço nada semelhante, sempre achando que posso fazer, que não tenho imunidade nenhuma. Tenho de ser ao mesmo tempo um ser forte com a noção exacta da minha fragilidade.»

Agostinho da Silva
in "Vida Conversável"

Artesanato


[ clique para ampliar ]
Venda de artesanato na Fortaleza. Foto do blogue Feiras.

terça-feira, setembro 26, 2006


Colóquio/Debate
30 de Setembro de 2006
Biblioteca Municipal de Sesimbra – Sala Polivalente


Programa:
10h00: Abertura
  • Apresentação do colóquio pela Vereadora do Pelouro das Bibliotecas Municipais, Guilhermina Ruivo
  • Introdução à vida e à obra de Agostinho da Silva: "Agostinho da Silva: ser a diferença que se deseja", por Paulo Alexandre Esteves Borges (professor da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e Presidente da Associação Agostinho da Silva e da Comissão do Centenário)

    10h30/12h30: Mesa "A Educação em Agostinho da Silva"
    Oradores:
  • Manuel Ferreira Patrício (professor e antigo reitor da Universidade de Évora):
    "Como entra a Europa na visão de Agostinho da Silva sobre o futuro de Portugal?"
  • Luís Paixão (arquitecto e docente universitário):
    "Curriculum informal – três episódios pedagógicos"
  • Joaquim Domingues (professor do ensino secundário, filósofo e ensaísta):
    "A Educação de Portugal"
  • Debate

    14h30-16h30: Mesa "A obra literária de Agostinho da Silva"
    Oradores:
  • Ruy Ventura (professor do ensino básico, escritor e ensaísta):
    "A cal para caiar o Universo"
  • Nicolau Saião (pintor e escritor):
    "Visitas a Agostinho"
  • António Cândido Franco (professor da Universidade de Évora, escritor e ensaísta):
    "A cultura portuguesa na obra literária de Agostinho da Silva"
  • Debate

    17h00-19h00: Mesa "Portugal e o V Império"
    Oradores:
  • Pedro Sinde (filósofo e ensaísta):
    "Agostinho da Silva ou o Império do Empíreo"
  • Jorge Preto (diplomata, historiador e ensaísta):
    "Agostinho da Silva e o Império do Amor"
  • António Telmo (escritor e filósofo)"
    "Agostinho da Silva contra Agostinho da Silva: O Império da Liberdade"
  • Debate
  • segunda-feira, setembro 25, 2006

    Cultura também é Sonho e Magia


    O novo livro de Sandra Carvalho

    Está quase nas bancas o novo livro da escritora sesimbrense Sandra Carvalho, "Lágrimas do Sol e da Lua", que constitui a terceira parte da Saga das Pedras Mágicas. O lançamento encontra-se marcado para o dia 17 de Outubro.

    Segundo a editora: «Neste terceiro volume a acção e a magia continuam empolgantes. No coração da Floresta Sombria, Aesa, rainha do povo vândalo e mestra da Arte Obscura engendra um plano para se apoderar das sete pedras mágicas da Feiticeira Aranwen. Entretanto, na Ilha dos Sonhos, Catelyn e Throst, o Guerreiro-Lobo, preparam as suas filhas Edwina, Thora e Freya para assumirem os seus próprios destinos. Edwina a primogénita, aceita tornar-se Guardiã da Lágrima do Sol e aguarda o chamamento da Pedra do Tempo. Do outro lado do mundo, Sigarr, irmão de Aesa, treina Edwin para servir os seus próprios desígnios, tentando concretizar a profecia que dita que o filho varão do Rei da Lua e da Rainha do Sol terá o poder de fundir a Arte Obscura e a Arte Luminosa para atingir o conhecimento absoluto. Mas será ele capaz de transformar a essência profunda do seu pupilo...ou ainda haverá esperança de o salvar e libertar a Lágrima da Lua?»

    Valsa


    Shostokovich


























































     Shostakovich 
    Valsa
    *
    http://www.elpincha.com/listas/andre_rieu-second_waltz_shostakovich.mp3
    versão sem participação do público:
    http://julycomes.com/music06/Shostakovich-Waltz_2_from_Jazz_Suite.mp3

    Pesca de arrasto

         «A Assembleia Geral da ONU deverá examinar este Outono um projecto de moratória sobre a pesca de arrasto a grande profundidade, uma forma de pesca devastadora que inflige danos irreversíveis à vida marinha.
         «A pesca de arrasto a grande profundidade resulta numa espécie de bulldozer que percorre o habitat submarino para caprturar apenas 20 por cento das presas.
         «Nos últimos dois anos, o mundo científico e numerosos países do Pacífico, principalmente os pequenos estados insulares, promovem uma campanha para obter uma moratória internacional sobre esta forma de pesca, com o intuito de a fazer desaparecer.»
    [notícia do jornal Público]


    [ clique para ampliar ]
    Fotografia de Jaime Silva

    Elis Regina


























































     Elis Regina 
    Águas de Março
    *

    http://www.ling.ohio-state.edu/~culicove/170/Music/Elis%20Regina%20-%20Aguas%20De%20Marco++.mp3

    domingo, setembro 24, 2006

    Mulher olhando o mar


    [ clique para ampliar ]
    Fotografia do blogue Aguarelas de Turner.

    sábado, setembro 23, 2006

    Pexitos (II)


    [ clique para ampliar ]

    sexta-feira, setembro 22, 2006

    Raul Brandão


    Raul Brandão


    José Cardoso Pires

         «Depois [Raul Brandão] ... volta à pesca e logo anota a voracidade dos conserveiros e dos armadores corsários: "Pescam nas nossas águas", escreve ele, "os galeões espanhóis, os navios ingleses e franceses e as criminosas traineiras depois de exterminarem o peixe na costa da Galiza e na baía de Vigo [...] Viu-se os exploradores republicanos continuarem a obra dos exploradores monárquicos. O peixe é caro porque está na mão de empresas poderosas que o vendem pelo preço que entendem.
         «Transcrevo estas linhas de Os Pescadores datadas de há 64 anos e penso nas frotas insaciáveis dos países fortes da CEE que nos vigiam, prontas a largar amarras. Eles sabem que somos um país mentido, um país oficialmente agrícola que importa mais de metade da agricultura de que necessita para sobreviver, mas sabem também a nossa costa e cobiçam-na como um dos viveiros do melhor peixe do mundo. Portugal não morre enquanto tiver o pescador e a mulher como produtores de exportação, diz Raul Brandão por outras palavras. E justifica: "É ela a mulher quem nos salva parindo filhos sobre filhos para a emigração. Creio que só assim, parindo e gemendo, é que se equilibra a nossa balança comercial".»

    José Cardoso Pires, prefácio a uma edição de 1986
    de Os Pescadores, de Raul Brandão.

    quinta-feira, setembro 21, 2006

    A quem sai este rapaz?!...


    I. As opiniões do Prior de Santiago
    II. O pensamento do Dr. Curto
    III. Horóscopo

         O consultório do Dr. Carvalho compunha-se de uma sala de espera, com a botica homeopática ao fundo, separada dos clientes por um balcão, e dum gabinete de consulta.
         As essências aplicadas na nova medicina estavam instaladas, num grande armário envidraçado, com frascos rotulados.
         Na cimalha, uma faixa azul com letras douradas ostentava o lema dos homeopatas: "Similia similibus curantur", que em vulgar significa: "os semelhantes curam-se pelos semelhantes".
         O Dr. Carvalho era um macaísta, com todas as características do chinês vestido à europeia.
         Usava a comprida sobrecasaca, indispensável à indumentária médica da época, completada na rua pelo chapéu alto.
         Os bigodes descaídos em arco aos cantos da boca davam-lhe um ar de bruxo. Era mesmo conhecido pelo Dr. Bruxo.
         D. Cândida sentou-se entre os outros consulentes e encetou conversação com as senhoras.
         A maioria não ia consultar o médico, mas o Dr. Bruxo sobre a psique de noivos ou noivas.
         Era exímio fisionomista o Dr. Carvalho. Acertava sempre com o carácter das pessoas de quem examinava os retratos.
         Bom católico e, portanto, bom conselheiro, aprovava ou reprovava os casamentos conforme o que lia nas fisionomias.
         D. Cândida fartou-se de ver retratos de rapazes e raparigas até lhe chegar a vez e o Quim de assediar os circunstantes com perguntas indiscretas.

    (continuação...)

    quarta-feira, setembro 20, 2006

    Bebel Gilberto

    Bebel Gilberto


























































     Bebel Gilberto 
    Samba de Benção
    ]| página oficial |[
    *

    http://www.todouncine.cl/Fotos/Pelicula/Strk_Trai/Closer%20Soundtrack%20-%2002%20-%20Bebel%20Gilberto%20-%20Samba%20de%20Bencao.mp3

    Cabo Espichel


    [ clique para ampliar ]

    Fotografia do blogue Inês.


    [ clique para ampliar ]
    Fotografia de Ju Ayrosa

    terça-feira, setembro 19, 2006

    Uma brasileira em Sesimbra


    [ clique para ampliar ]
    Foto de ciçapires


    [ clique para ampliar ]

    Alternativa e Resposta

    «Cerca de 25 mulheres pescadoras açorianas aprovaram sábado a criação de uma associação no arquipélago para aumentar a visibilidade do seu trabalho e "lutar" pela igualdade de género nesta actividade. No final do I Encontro Regional de Mulheres na Pesca, a presidente a União de Mulheres Alternativa e Resposta (UMAR) adiantou que o próximo passo para a criação da associação passa pela "definição e consolidação" da estrutura. Com o propósito de promover um intercâmbio de saberes, mas também mudar mentalidades, contribuindo para minimizar as descriminações de género nas comunidades piscatórias, Clarisse Canha precisou que a rede vai integrar todas as mulheres que estão ligadas à actividade.»

    Jornal "Público" e "Agência Lusa"

    segunda-feira, setembro 18, 2006

    Pneus


    [ clique para ampliar ]
    Foto de Ciberbar.

    domingo, setembro 17, 2006

    Agostinho da Silva


    [ clique para ampliar ]
    Vai ter hoje lugar, no Auditório Conde Ferreira, pelas 21h30, uma homenagem a Agostinho da Silva, na qual se poderão ouvir os testemunhos da actriz São José Lapa e António Reis Marques. Tratando-se de dois excelentes comunicadores, será seguramente uma sessão muito valiosa e que merecia maior divulgação (a mim quase passou despercebida).

    Também a merecer visita, a exposição foto-bio-bibliográfica com o tema: "Agostinho da Silva: Pensamento e Acção", no Auditório Conde Ferreira, até ao dia 30 de Setembro.

    Adenda
    Este evento decorreu de forma muito interesante e participada. António Reis Marques relembrou a estreita ligação de Agostinho da Silva a Sesimbra, desde os tempos em que percorreu extensamente o concelho, na companhia de Orlando Ribeiro, quando este preparava o estudo que veio a dar origem ao livro "Arrábida, um esboço geográfico". Reis Marques falou também da ideia que Agostinho da Silva tivera de fazer aqui um género de universidade aberta ou centro de estudos sesimbrenses, onde "conversas" substituiriam as "lições", e que seriam dadas ao ar livre e em lugares emblemátcos do concelho: Fortaleza de Santiago, Castelo, Lagoa, Cabo Espichel, etc. - iniciativa que não se realizou devido a doença do filósofo.

    A sessão, que foi muito participada da parte do público, terminou já depois da meia-noite, numa sala organizada em estilo de café-concerto, proporcionando um estilo de tertúlia que, como foi sugerido, seria interessante retomar em outras iniciativas. São José Lapa falou de Judite Cortezão, que foi mulher de Agostinho da Silva, e que a actriz conheceu bem por ter sido sua aluna.

    O Professor Amável teve também uma curta intervenção, que iniciou com uma nota muito engraçada, dizendo que nestas coisas gostava de entrar mudo e sair calado, e referiu, em reforço desta ideia, que se lembrava sempre do famoso cavaleiro, Henrique Calado, que ganhava todas as provas de hipismo em que participava, o que provava que "o Calado vence tudo!".

    Agulha

    Peixe-agulha
    Não voa como o seu primo peixe-voador, mas é igualmente rápida, podendo deslocar-se a grande velocidade à flor das águas, com a parte da frente fora de água, impulsionada pelas características barbatanas colocadas mais à ré. Costuma acompanhar os barcos de pesca em movimento, pela proa, numa espécie de corrida que ganham com facilidade. Recordo-me, quando era miúdo e estas agulhas tinham a honra de vir ao prato - normalmente acompanhando outras espécies mais saborosas - da singularidade da sua espinha esverdeada. No mar, é dos poucos peixes que se dá ao trabalho de vir espreitar a criatura humana, mas ignora-se o conceito que dela faz - provavelmente, não muito elevado.

    Nome científico: belone belone
                             classe: sctinopterygii
                             ordem: beloniformes
                             família: belonidae
    Espécie pelágica que ocorre principalmente em águas costeiras, podendo entrar nos rios. Forma pequenos cardumes, sendo muito rápida e voraz. Alimenta-se principalmente de pequenos peixes.

    sábado, setembro 16, 2006

    Deborah Blando

    Zizi Possi





























































     Maçã 
    Deborah Blando
    video: | alta velocidade | baixa velocidade |
    ]| página oficial |[
    *

    http://www.bandar3.com.br/download/Maca.mp3

    sexta-feira, setembro 15, 2006

    Ping - Pexitos - Pong


    [ clique para ampliar ]


    Colóquio/Debate
    30 de Setembro de 2006
    Biblioteca Municipal de Sesimbra
    Participantes:
         - António Cândido Franco
         - António Telmo
         - Joaquim Domingues
         - Jorge Preto
         - Luis Paixão
         - Manuel Ferreira Patrício
         - Nicolau Saião
         - Paulo Alexandre Borges
         - Pedro Sinde
         - Ruy Ventura

    quinta-feira, setembro 14, 2006

    A maresia do mundo


    Ouvir na noite a maresia e ver o arco inteiro dos astros
    é pertencer inteiramente ao grande harmónio do universo
    Mas nós vivemos em quartos poeirentos
    e já não vemos as constelações ofuscadas pelas luzes da cidade
    O silêncio já não tem a placidez planetária
    de um grande bálsamo de sombra universal
    lembro-me ainda na minha terra solar de me estender
                              ao comprido no ladrilho do terraço
    de frente para as estrelas
    e o firmamento inteiro abria-se num vasto leque
                              tranquilamente cintilante
    Ondulava na grande embarcação do universo
    e respirava o seu vagaroso e transcendente pulmão
    Ninguém navega já assim no espaço
    e por isso se perdeu a fértil lentidão da terra
    Se o poema é um búzio em que ressoa a maresia do mundo
    poderá ele suscitar o desejo de pertencer à terra
    como uma árvore que se inclina sobre as ondas
    ou uma torre vegetal de sombras embriagadas pela brisa marinha?

    António Ramos Rosa
    (Revista Atlântica, nº 1, 2004)

    Luxos

    no tempo em que andava de lambreta
    No blog Luís Represas perguntam-nos se queremos ouvi-lo cantar a "Feiticeira" ao nosso ouvido. Ora... depende!...

    O caso é que a Rádio Comercial vai patrocinar um concerto de Luís Represas, em exclusivo para 20 pessoas, num hotel de luxo. E que hotel de luxo é esse? Bem, é o Sana Sesimbra Hotel, e a coisa está programada para o dia 29 de Setembro. Ainda assim, duvido que seja "o concerto mais pequeno do mundo". Só se for: "o concerto mais pequeno do mundo em hotel de luxo".

    Peixes modestos

    Normalmente desconhecidos ou desprezados, os modestos peixes que se apresentam a seguir vão ser as vedetas da próxima colecção de selos, a lançar pelos CTT no próximo dia 7 de Outubro. Alguns destes peixes são conhecidos, em Sesimbra, por outras designações: alguém sabe?
    PimpimAndorinhaSugador
    CabozJudiaPeixe-Pau-Lira
    (Nota: estas não são ainda as imagens dos selos)
  • Pimpim - Capros aper - [0,30 €]
  • Andorinha - Anthias anthias - [0,45 €]
  • Sugador - Lepadogaster lepadogaster - [0,60 €]
  • Caboz - Gobiusculus flavescens - [0,75 €]
  • Judia - Coris julis - [1 €]
  • Peixe-Pau-Lira - Callionymus lyra - [2 €]
  • Anoitecer


    [ clique para ampliar ]
    «Talvez, eu em lugar algum do mundo tenha visto um anoitecer tão bonito como quase todos os dias vejo anoitecer em Sesimbra... !» [ Ciberbar ]

    Estacionamento


    [ clique para ampliar ]
    Abençoada terra, que até para uma Santa tem estacionamento reservado. Ou será "Preservado" ?

    quarta-feira, setembro 13, 2006

    Surfistas


    [ clique para ampliar ]
    Hoje uma inoportuna chuvada à hora do almoço esvaziou a praia, deixando-a entregue aos cuidados dos surfistas.

    Lixo do fundo

    Segundo o jornal digital Setúbal na Rede a acção de recolha de lixo nas águas da baía de Sesimbra, que decorreu no passado sábado e onde participaram 76 pessoas, levou à recolha de 724 kg de lixo no período de 3 horas. Há dois anos, numa acção equivalente, tinham sido recolhidos 600 kg de lixo, e no ano passado 800 kg, pelo que a organização tinha previsto para este ano um objectivo de 1 tonelada. Há portanto a hipótese de ter havido uma menor poluição da baía, mas só os próximos anos o poderão confirmar.

    Esta iniciativa é promovida pelo Núcleo de Actividades Subaquáticas da Associação de Estudantes do Instituto Superior Técnico, e teve este ano a sua 11ª edição.

    terça-feira, setembro 12, 2006

    Golfo!



    [ clique para ampliar ]
    «Já repararam que começaram a aparecer novamente laminárias no mar de Sesimbra? Parece que o fundo começou a reequilibrar…
    Será que é por acaso? ou é o arrasto que está a diminuir?
    Como aprendi a andar, a nadar e a mergulhar em Sesimbra, já lá vão praticamente 40 anos e, apesar das barbaridades que ao longo do tempo se foram fazendo, sou um adepto incondicional daquela vila, pareceu-me importante salientar este facto!
    »

    Laurus Nobilis in Milhas Náuticas

    Estrela


    [ clique para ampliar ]
    João Fernandes em Fonte da Vida

    A Sul de Sesimbra


    [ clique para ampliar ]
    José Botelho em A Voz da Abita

    Arcanzil

    Arcanzil
    [ clique para ampliar ]
    O Arcanzil é um dos modelos de barcos realizados pelo sesimbrense Augusto Manuel Fortuna dos Santos e que se encontram expostos no átrio da Biblioteca Municipal de Sesimbra, até ao próximo dia 30 de Setembro. Entre as maquetas expostas incluem-se duas imponentes réplicas da Fragata D. Fernando II e Glória (2,2 m de comprimento) e do veleiro de Francis Drake, o Golden Hind (1,20 m de comprimento), naus portuguesas do tempo dos Descobertas e um barco de rodas do Mississipi.
    Fragata D. Fernando
    Fragata D. Fernando
    Nau S. Gabriel
    Nau S. Gabriel
    (cavername)
    Galeão de guerra
    Galeão de guerra
    Galeão S. João Baptista
    Galeão S. João Baptista
    Golden Hind
    Golden Hind

    Barco do rio Mississipi
    Barca Rita
    Barca Rita

    Aguarelas de Turner|  O amor pelas coisas belas |  Angola em Fotos  Aldrabas e fechaduras| Amigos da Dorna Meca| Amigos de Peniche| André Benjamim| Ao meu lado| Arrábida| (flora) Arrábida| (notícias) Arrastão| @tlanti§| Atlântico Azul| Atitude 180| Badamalos| Banda da SMS|  Barcos do Norte | B. dos Navios e do Mar| Blasfémias| Blue Moon I|  Boa Noite, Oh Mestre! | Canoa da Picada|  Carlos Sargedas |  Caminhos da Memória |  Catharsis |  Caxinas... de Lugar a freguesia  | Cetóbriga| Clube Leitura e Escrita| Coelho sem Toca| Cova Gala|  Crónicas de 1 jornalista | De Rerum Natura|  Desporto Saudável | Dias com Árvores| *** Dona Anita ***| Do Portugal Profundo| El mar és el camí| Espaço das Aguncheiras| Estórias de Alhos Vedros|  Estrada do Alicerce | Expresso da Linha|  Filosofia Extravagante | Finisterra| Flaming Nora| Grão de Areia| Gritos Mudos| Homes de Pedra en Barcos de Pau| Imagem e Palavra| Imagens com água| Imenso, para sempre, sem fim| O Insurgente| J. C. Nero| José Luis Espada Feio|  Jumento  Lagoa de Albufeira| Mar Adentro Ventosga| Magra Carta| Marítimo| Mil e uma coisas| Milhas Náuticas| Molino 42| My Littke Pink World| Nas Asas de um Anjo| Navegar é preciso|  Navios à Vista |  Nazaré | Neca| Nitinha| Noites 100 alcool| Nós-Sela| Nubosidade variabel| O Calhandro de Sesimbra|  Orçadela | Página dos Concursos| Pedras no Sapato|  Pedro Mendes | Pelo sonho é que vamos| Pescador| Pexito do Campo|  A Pipoca mais Doce | Ponto de encontro| Portugal dos Pequeninos|  Praia dos Moinhos |  Quartinete | Reflexus| Rui Cunha Photography| Rui Viana Racing| Rumo ao Brasil|  Ruy Ventura | Sandra Carvalho| Sesimbra arqueológica|  Sesimbra Jobs |  Sesimbra Jovem |  Sesimbra, três Freguesias, um Concelho| Se Zimbra|  Simplicidade | Singradura da relinga| Skim Brothers| Sonhar de pés presos à cama|  Tiago Ezequiel |  Tiago Pinhal |  Trans-ferir | Una mirada a la Ria de Vigo|          Varam'ess'aiola |  Ventinhos |


    Canoa da Picada