ll

segunda-feira, setembro 11, 2006

Ecballium elatrium

Esta planta, que existia em grande quantidade nos descampados de Sesimbra, servia para uma das brincadeiras dos miúdos. Quando o fruto amadurece, separa-se da planta e expele as sementes a grande distância, misturadas com um líquido que funciona como propulsor. A brincadeira consistia em provocar a "explosão", tentando não se ser atingido.

Nunca lhe conheci o nome, sei agora que se chama "Pepino de S. Gregório" ou Ecballium elatrium (nome científico). Tem uso medicinal, mas trata-se de uma planta venenosa e uma sobredosagem pode provocar a morte. Pode ser usada para o reumatismo, coração, e tem um fortíssimo poder purgativo. Também é usada para a sinusite e possui capacidades abortivas.

3 Comentários:

Às 12/9/06 , Anonymous emigrante disse...

pois é verdade, eu aos vinte e dois anos curei definitivamente uma sinusite gravìssima com isso mesmo, o jacto de líquido e sementes expelido de dentro destes pepinos de S. Gregório. E tenho trazido de Portugal e tem curado muita gente da mesma doença.

 
Às 12/9/06 , Anonymous emigrante disse...

também é verdade que nunca engravidei.
não resisti, mas a minha cura e de várias pessoas do sofrimento da sinusite é algo que devia ser propangandeado porque é um facto mas as farmácias não gostam muito

 
Às 16/10/06 , Anonymous Anónimo disse...

cuidado,o meu marido fez uma reação alergica e podia ter sufocado, se não tivesse ido ao médico poderia ter tido um edema da glote.

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

Aguarelas de Turner|  O amor pelas coisas belas |  Angola em Fotos  Aldrabas e fechaduras| Amigos da Dorna Meca| Amigos de Peniche| André Benjamim| Ao meu lado| Arrábida| (flora) Arrábida| (notícias) Arrastão| @tlanti§| Atlântico Azul| Atitude 180| Badamalos| Banda da SMS|  Barcos do Norte | B. dos Navios e do Mar| Blasfémias| Blue Moon I|  Boa Noite, Oh Mestre! | Canoa da Picada|  Carlos Sargedas |  Caminhos da Memória |  Catharsis |  Caxinas... de Lugar a freguesia  | Cetóbriga| Clube Leitura e Escrita| Coelho sem Toca| Cova Gala|  Crónicas de 1 jornalista | De Rerum Natura|  Desporto Saudável | Dias com Árvores| *** Dona Anita ***| Do Portugal Profundo| El mar és el camí| Espaço das Aguncheiras| Estórias de Alhos Vedros|  Estrada do Alicerce | Expresso da Linha|  Filosofia Extravagante | Finisterra| Flaming Nora| Grão de Areia| Gritos Mudos| Homes de Pedra en Barcos de Pau| Imagem e Palavra| Imagens com água| Imenso, para sempre, sem fim| O Insurgente| J. C. Nero| José Luis Espada Feio|  Jumento  Lagoa de Albufeira| Mar Adentro Ventosga| Magra Carta| Marítimo| Mil e uma coisas| Milhas Náuticas| Molino 42| My Littke Pink World| Nas Asas de um Anjo| Navegar é preciso|  Navios à Vista |  Nazaré | Neca| Nitinha| Noites 100 alcool| Nós-Sela| Nubosidade variabel| O Calhandro de Sesimbra|  Orçadela | Página dos Concursos| Pedras no Sapato|  Pedro Mendes | Pelo sonho é que vamos| Pescador| Pexito do Campo|  A Pipoca mais Doce | Ponto de encontro| Portugal dos Pequeninos|  Praia dos Moinhos |  Quartinete | Reflexus| Rui Cunha Photography| Rui Viana Racing| Rumo ao Brasil|  Ruy Ventura | Sandra Carvalho| Sesimbra arqueológica|  Sesimbra Jobs |  Sesimbra Jovem |  Sesimbra, três Freguesias, um Concelho| Se Zimbra|  Simplicidade | Singradura da relinga| Skim Brothers| Sonhar de pés presos à cama|  Tiago Ezequiel |  Tiago Pinhal |  Trans-ferir | Una mirada a la Ria de Vigo|          Varam'ess'aiola |  Ventinhos |


Canoa da Picada