ll

segunda-feira, setembro 29, 2008

fotografia alojada em www.flickr.com
[ clique para ampliar ]
Lance da traineira Pombinho em que foram pescadas mais de 1000 corvinas. A Polícia Marítima acabou por apreender a pescaria, por considerar que ultrapassava a quota de pesca. O zelo da PM, crecente nos últimos anos, chega a atingir o ridículo de multar uma enviada por não ter a bordo o livro de registo das capturas: aquela Polícia ainda não "atingiu" o conceito do que é uma enviada, um barco dedicado exclusivamente ao transporte de peixe.
Foto de Miguel Lourenço.
Capture of more than 1,000 of meagre (argyrosomus regius) by the purse seine boat "Pombinho". The fish was later taken by the police, saying it exceeded the authorized quota.

Photo by Miguel Lourenço.

16 Comentários:

Às 29/9/08 , Anonymous Anónimo disse...

Pois eu acho que as corvinas foram muito bem apreendidas. Quem é que os mandou infrigir a lei ? Sabiam perfeitamente que não tinham autorização para capturar aquela quantidade de corvinas. Pelo menos desta vez, a lei foi aplicada !

 
Às 29/9/08 , Blogger J.A.Aldeia disse...

Essa gente extremamente (in)competente conseguiu a proeza de multar o meu pai enquanto estava a dormir...
Decididamente, quando atribuíram a inteligência ao ser humano grande parte da Polícia Marítima não estava lá.

Pollux

 
Às 29/9/08 , Anonymous Anónimo disse...

a lei teria sido bem aplicada se essas corvinas tivessem sido entregues a alguma instituição de caridade,o que não me parece que seja o caso da artesanalpesca,e como é que tudo isso foi comercializado? seria interessante esclarecerem bem as pessoas quando se escrevem estes comentários

 
Às 29/9/08 , Anonymous Anónimo disse...

Senhor anónimo explique lá como se faz isso de saber que peixe e quantidade vem à rede.

 
Às 30/9/08 , Anonymous Anónimo disse...

Nem tudo o que vem à rede è"Ganancia"

 
Às 30/9/08 , Anonymous Anónimo disse...

quem é o dono da traineira? será o sócio da artesanal? sera´que compraram novamente as corvinas, que foram apreendidas?será que as voltaram a vender?sera´que podem explicar? Então para que foram apreendidas????

 
Às 30/9/08 , Anonymous Anónimo disse...

Para esclarecer o primeiro anónimo que qundo se larga a rede a tecnologias das sondas ainda não nos permite ver qual o tipo de peixe.
Quando começaram a desembasar opetaram por desembasar as corvinas em vaz da sardinha visto que esta ia ficar engodo misturada com as corvinas a opção do mestre foi a mais sensata ou seja deixou a sardinha no mar sem a matar e trouxe as corvinas em estado mais do que adulto.
à uns anos poucos podia-se apanhar todo este lance que salva 3 meses de salários a uma companha que passa durante o inverno muitas semanas sem poder ir ao mar devido ao mau tempo sem terem contrapartidas economicas.
PS-Esta noticia deveria ter passado pela TV não por esta razão mas sim pelo feito inédito em Portugal.
Miguel lourenço

 
Às 30/9/08 , Anonymous Anónimo disse...

Oh meu caro J Aldeia. Então confundiu corvinas com tainhas. Tudo bem. Errar é humano..

 
Às 30/9/08 , Anonymous J C Magalhaes disse...

Estava a ler estes comentarios e acabo por ficar triste com o sentimento "pexito" de se ficar satisfeito com o mal dos outros, ou desejar que os outros nao tenham sorte.
O barco em questao ou outros procuram uma vida inteira um "lance" destes, é obvio que a leitura dos aparelhos electronicos do barco dara uma ideia de que tipo de peixe sera (miudo ou grosso).
A lei nao determina a quantidade de peixe grosso a pescar, mas é sempre relativa á quantidade de peixe miudo que na mistura com o peixe grosso pescar; ou seja , a pescaria tem que conter no maximo de 20% de peixe grosso em relação ao total do peixe.
o barco em questao teria que trazer para terra 100 toneladas de peixe miudo para as 20 tonelas de corvinas que apanhou ( ia ao fundo com essas quantidades) ... mas se conseguisse trazer nao haveria infracção á lei.
Podemos questionar, isso sim a "nacionalização" das corvinas , e com que direito o Estado usufrui do valor do pescado trabalhado e pescado por 25 homens do barco.
Questiono porque tantas associaçoes e O.P.s e tantos homens que tem 1 olho em terra de cegos e deixam que esta lei seja aprovada como esta e nao seja atribuida uma coima em vez da apreenção.
Quando se fala no excesso de zelo das autoridades acabo por concluir que certos policias maritimos sobem na carreira policial e deve ficar registado na folha de serviço este tipo de apreençoes, nao tendo o minimo de sensibilidade sobre os prejuizos ás familias sesimbrenses.
Sera que as delegaçoes afectas aos militares da policia em questao tambem recebem percentagem dos valores apreendidos ??
Ou sera que apreenção de peixe e multas ridiculas minimiza a insegurança que reina neste país ???
Talvez or todos este factores é que certas policias criminais e de investigaçao funcionam na base de infiltrados e bufos, para que haja sacos azuis dentro das policias e que alguns agentes subam na carreira.
Em relação á venda das corvinas apreendidas eu passo a explicar o que se passou:
Todos os intervenientes acharam uma grande injustiça a apreenção das corvinas e como manda a lei o peixe apreendido é vendido em lota, nao em nome do barco, mas em nome do Estado ou Ministerio da Defesa ou algo assim .
O apuro dessa venda reverte para quem nao tem direito de receber e alem disso o valor da venda sera um valor para atribuir a coima posterior ao barco infractor.
Por essas razoes os compradores decidiram NAO comprar o peixe em lota para que esse dinehiro da venda nao fosse parar aos cofres daqueles que tiram o suor dos trabalhadores e gastam em submarinos, TGVs, estadios de futebol; deixando assim a porta aberta que atravez de alguem o pescador comprasse o seu proprio peixe , neste caso utilizou os serviços da Artesanalpesca, como poderia ter sido outra qualquer empresa (haviam varias dispostas a ajudar o pescador a recuperar o pescado).
Para que conste, o policia no dia seguinte apareceu na lota para levantar o valor da "grande apreensão" e ficou "piurso" quando deparou com um baixo valor,entao ao que parece disparou para varios lados e tentou pressionar os funcionarios da lota identificando-os e ameaçando com investigaçoes ( plos vistos a folha de serviço dos policias nao vai ter muito impacto), nem os cofres do estado .

 
Às 30/9/08 , Anonymous Anónimo disse...

O que me preocupa no meio de isto tudo é a preservação das espécies piscícolas de modo a que as futuras gerações tenham peixe para pescar no mar. A escassez de recursos marinhos com que hoje nos confrontamos deve-se em grande parte ao egoísmo das gerações anteriores de pescadores profissionais que capturavam o máximo que podiam sem respeitar, amiúde, as restrições respeitantes ao tamanho das espécies, ao tipo de arte ou às zonas de pesca. Acho muito bem que se estabeleçam limites e quotas. Doutra forma, vinga a mentalidade do “deixa-me pescar o mais que puder, antes que seja outro a fazê-lo”. Os resultados dessa mentalidade estão, hoje, à vista.

 
Às 30/9/08 , Anonymous Anónimo disse...

Jc Magalhaes
eu que lhe dizer embora não o conheca que o sr/a tem toda a razão!
quanto ao 1º anónimo a estupidez tem limites amigo/a e digo-lhe mais
A INVEJA E A LOUCURA,SÃO DOIS MALES QUE NÃO TEEM CURA.
se calhar fostes tu que bufas-te quem sabe se não fostes tu a brincar com a vida de muitas familias
até porque segundo a PM ELES NÃO ESTAVAM LÁ ALGUEM OS CHAMOU.
hum gente esta que ainda não esqueceu os tempos antigos em que se bufavam uns aos outros!

 
Às 30/9/08 , Anonymous Anónimo disse...

Engraçado como este blogue é frequentado por gente com educação e nível cultural tão díspares. Todos têm cá lugar; até os trogloditas, como o anónimo que me antecede!

 
Às 30/9/08 , Anonymous Anónimo disse...

Óh Miguel Lourenço? Se o Grande Mestre Lourenço, teu avô, fosse vivo, dáva-te dois grandes puxões do orêlhas.Sabes porquê? Porque Ele mesmo antes da existência nas nossas traineiras destes equipamentos bastantes sofisticados, de noite debruçado na prôa da traineira sabia que peixes é que passavam à frente dela.Agora, estes grandes mestres que felizmente ainda temos e o António Cagica é um deles, com essas sondas e demais equipamentos raramente se enganam a que peixes largam as redes.H´´a que alterar a legislação para que situações idênticas não se repitam.

 
Às 30/9/08 , Anonymous Anónimo disse...

Sei que no tempo do meu avo identificava-se uma branca de corvinas à proa,como diz e bem os mestres actuais não saem da ponte,sabem identificar uma marcação na sonda de sadinha ou cavala sempre com alguma margem de erro, acontece que se aparecer um cardume de corvinas ainda porcima misturada com sardinha é muito dificil de identificar.
Este peixe esteve extinto durante vários anos, não devido ao excesso de pesca mas sim ,porque o tejo tinha muita poluição e este peixe faz um trajecto de vida identico ao do salmão,ou seja desova no rio.
Com o desaparecimento da lisnave e com as ETARs nos grandes centros urbanos é natural que esta espécie volte a aparecer para alegria dos pescadores e dos cofres do Ministério da Defesa.
Chego á conclusão que para a PM e Marinha é muito mais rentável andarem atrás dos pescadores do que de Droga.
Esta PM chega ao comulo de dizer que uma traineira só pode ser rebocada se sulicitar um rebocador de Setubal ...incrivel só mesmo em Portugal.

Miguel Lourenço

 
Às 30/9/08 , Anonymous Anónimo disse...

O anónimo anterior é mais um cobarde com dor de cotovelo.
Este espaço cada um tem o seu ponte de vista à que respeitar.
Amigo Miguel sugiro que não te identifiques ,faz como eu.

 
Às 30/9/08 , Blogger J.A.Aldeia disse...

Apaguei os últimos comentários, que não adiantavam nada à discussão. É bom que se saiba que ataques insultuosos, sob a capa do anonimato, definem sempre os seus autores como cobardes, nesta ou em qualquer outra discussão.

 

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

Aguarelas de Turner|  O amor pelas coisas belas |  Angola em Fotos  Aldrabas e fechaduras| Amigos da Dorna Meca| Amigos de Peniche| André Benjamim| Ao meu lado| Arrábida| (flora) Arrábida| (notícias) Arrastão| @tlanti§| Atlântico Azul| Atitude 180| Badamalos| Banda da SMS|  Barcos do Norte | B. dos Navios e do Mar| Blasfémias| Blue Moon I|  Boa Noite, Oh Mestre! | Canoa da Picada|  Carlos Sargedas |  Caminhos da Memória |  Catharsis |  Caxinas... de Lugar a freguesia  | Cetóbriga| Clube Leitura e Escrita| Coelho sem Toca| Cova Gala|  Crónicas de 1 jornalista | De Rerum Natura|  Desporto Saudável | Dias com Árvores| *** Dona Anita ***| Do Portugal Profundo| El mar és el camí| Espaço das Aguncheiras| Estórias de Alhos Vedros|  Estrada do Alicerce | Expresso da Linha|  Filosofia Extravagante | Finisterra| Flaming Nora| Grão de Areia| Gritos Mudos| Homes de Pedra en Barcos de Pau| Imagem e Palavra| Imagens com água| Imenso, para sempre, sem fim| O Insurgente| J. C. Nero| José Luis Espada Feio|  Jumento  Lagoa de Albufeira| Mar Adentro Ventosga| Magra Carta| Marítimo| Mil e uma coisas| Milhas Náuticas| Molino 42| My Littke Pink World| Nas Asas de um Anjo| Navegar é preciso|  Navios à Vista |  Nazaré | Neca| Nitinha| Noites 100 alcool| Nós-Sela| Nubosidade variabel| O Calhandro de Sesimbra|  Orçadela | Página dos Concursos| Pedras no Sapato|  Pedro Mendes | Pelo sonho é que vamos| Pescador| Pexito do Campo|  A Pipoca mais Doce | Ponto de encontro| Portugal dos Pequeninos|  Praia dos Moinhos |  Quartinete | Reflexus| Rui Cunha Photography| Rui Viana Racing| Rumo ao Brasil|  Ruy Ventura | Sandra Carvalho| Sesimbra arqueológica|  Sesimbra Jobs |  Sesimbra Jovem |  Sesimbra, três Freguesias, um Concelho| Se Zimbra|  Simplicidade | Singradura da relinga| Skim Brothers| Sonhar de pés presos à cama|  Tiago Ezequiel |  Tiago Pinhal |  Trans-ferir | Una mirada a la Ria de Vigo|          Varam'ess'aiola |  Ventinhos |


Canoa da Picada