ll

sábado, novembro 19, 2011

Traineiras Pombinho e Beatriz Paulo, e a enviada desta última, em Lisboa, depois de terem transportado a extraordinária pesca de corvinas feita pela Beatriz Paulo.Purse seine boats Pombinho and Beatriz Paulo, in Lisbon.
Foto de / Photo by Miguel Lourenço.
[ clique para ampliar ]

25 Comentários:

Às 21/11/11 , Anonymous Anónimo disse...

Parabens aos pescadores por esta pesca extraordinária ganham eles a vila e o próprio país uma vez que grande parte desta pesca foi para exportação.

 
Às 22/11/11 , Anonymous Anónimo disse...

lamentávelmente desctivaram esta Docapesca ficando a Capital de Portugal sem porto de pesca e lota, em troca de especulação imobiliária.

 
Às 22/11/11 , Anonymous Anónimo disse...

Perdoem a minha ignorância, mas que pesca extraordinária foi essa ?

 
Às 22/11/11 , Anonymous Anónimo disse...

Não há dúvida que não constava um lance tão grande desse peixe há muito tempo: antigamente era vulgar lances desses, no tempo das Armações de pesca à Valenciana,e os que ainda se lembram que era a Armação de nome a "Restauradoura"que mais vezes enchia a lota que se fazia na praia de Sesimbra junto à Fortaleza: o sistema continua a ser o mesmo.... quem o apanhava e quem o apanha,é quem menos ganha...

 
Às 23/11/11 , Blogger João Augusto Aldeia disse...

Foi uma quantidade de corvinas superior a 30 toneladas.

 
Às 23/11/11 , Anonymous Anónimo disse...

"antigamente era vulgar lances desses"

Pois era. É que antigamente havia peixe com fartura e agora não. E porque será ? Não teremos abusado da generosidade do mar ?

MP

 
Às 25/11/11 , Anonymous Anónimo disse...

O sr MP de ter engulido alguma espinha quando era criança porque está sempre contra a pesca.A falta de peixe tem uma causa a POLUIÇÃO.As corvinas que foram capturadas na barra do rio tejo, só foi possivel porque o rio está despoluido.

 
Às 26/11/11 , Anonymous Anónimo disse...

Já me abituei ás opniões infelizes do Sr.Mp que vive no país das Maravilhas de que eu desconheço possivelmente num pais nas caraibas votado exclusivamente ao turismo...esse país não é Portugal decerteza e muito menos sesimbra.

Lembro que os grandes hiper nacionais são reabastecidos pela Artesanalpesca com o peixe espada preto seja em filetes seja à posta, lembro-lhe que esta semana que findou exportou-se apartir da lota de Sesimbra 420 toneladas de Cavala para Espanha, sabe quantos camiões tires são precisos, sabe o dinheiro que entra no país e em particular em Sesimbra, entra mais em sesimbra no mês no sector das pescas do que em vários meses no turismo de recreio naval que restrige-se ao fim de semana para alguns previligiados.

"Existem tantos burros mandando em homens de inteligencia que ás vezes fico pensando que a burrice é uma ciência".

Ant. Aleixo

 
Às 26/11/11 , Anonymous Anónimo disse...

O Anónimo MP tem razão temos abusado da genorisidade do mar em particular o exagero de barcos de recreio a queimarem combustivel,a afungentarem os peixes e a gerarem poluição.

 
Às 26/11/11 , Anonymous Anónimo disse...

Caro Anónimo de 25/11,

A falta de peixe não tem uma causa...tem várias ! E uma delas, é certamente a pesca em excesso. Ou acha que o peixe-espada branco de Sesimbra foi vítima da poluição e do desaparecimento das algas ?

Quanto ao facto de estar sempre contra a pesca, permita-me o esclarecimento seguinte. Estou contra os que não respeitam os tamanhos mínimos e limites de captura; estou contra os que usam artes proibidas, estou contra os que usam redes com malha inferior ao mínimo legal; estou contra os que utilizam processos para diminuir a malhagem e selectividade das artes de pesca; estou contra os que não preenchem com veracidade os diários de pesca e declarações de descarga; estou contra os que não respeitam a distância mínima da costa para colocação de redes; estou contra os que utilizam redes com o dobro do comprimento legal, etc. etc.

Enfim, estou contra os maus pescadores que vêm no pescado uma forma de lucro imediato que não tem compromisso com a ética, a solidariedade e a sustentabilidade para com as novas gerações.

MP

 
Às 26/11/11 , Anonymous Anónimo disse...

Poryugal prectsa da pesca e da agricultura para crescer economicamente,Esta pescaria ajuda muito SESIMBRA. Parabens mestres e pecadores.

 
Às 26/11/11 , Anonymous Anónimo disse...

Antigamente havia mais peixe mas os nossos pais e avôs não enriqueceram, mas deixaram uma grande herança, o MAR para pescar,Como nas faculdades saiam mais doutores advogados,arquitetos,engenheiros, agora biologos,

 
Às 27/11/11 , Anonymous Anónimo disse...

O facto de o mar estar despoluido como diz o an´nimo anterior faz com que os pescadores tenham voltado a pescar novamente lances desta e de outras especies de peixe recordo o MP que o ano passado houve um lance de sarrajões (familia dos Atuns pequenos) que nem os mais velhos se lembram de pescar naquelas quantidades tal especie.
Como o anonimo anterior disse o MP deve ter ficado com uma espinha atravessada ou é só ignorância em reçlação ao sector das pescas!
Como também já disse o turismo de recreio naval restrige-se ao fim de semana e só pode ser encarado como um complemento.
Já o sector das pescas além de ter uma tradição histórica na nossa vila tem desde à muito como a principal actividade económica da vila de Sesimbra e a própria identidade da mesma desde à vários seculos.
Gostava de saber quem é o MP mas não devo conhecer porque as suas opniões icensivas levam-me a crer que não é um filho da terra, talvez alguém que tivesse vindo num fim de semana e tivesse(bebido água da Califórnia)como se diz na giria.

Pescador

 
Às 27/11/11 , Blogger João Augusto Aldeia disse...

Caro MP: pode indicar-me um estudo objectivo (ou estudos) que aponte a sobrepesca como causa do desaparecimento do peixe-espada branco nesta costa?
Não estou a dizer se foi ou não, nem muito menos a colocar em dúvida a sua opinião, a qual não pretendo discutir. Agradecia apenas que me indicasse algum estudo científico que aponte nesse sentido.

 
Às 27/11/11 , Anonymous Anónimo disse...

Caro JA Aldeia

No seu livro “Peixe-espada de Sesimbra a preto e branco”, o insuspeito António Reis Marques diz a dada altura:

“Centenas ou milhares de peixes eram colhidos, diariamente, numa pesca intensa e ilimitada, sem quotas, sem períodos de defeso”.

Ainda acha necessário um estudo cientifico que comprove esta evidência ?

Quanto aos outros intervenientes nesta troca de opiniões, que se desenganem: não sou biólogo e muito menos regalista. Apenas defendo uma pesca sustentável, ou seja, uma pesca que faça um uso razoável dos recursos, possibilitando a satisfação das necessidades do presente sem comprometer a capacidade das gerações vindouras em retirar do mar o seu sustento.

Cumprimentos,
MP

 
Às 27/11/11 , Anonymous Anónimo disse...

Os pescadores não têm em Sesimbra quem os defendem destes falsos profetas.Foi com estas afirmaçoes que se criou um parque aquatico das universidades de biologia.Sr MP quantas ETARS funcionam em SETUBAL?Quantas industrias estão nas margens?

 
Às 27/11/11 , Anonymous Anónimo disse...

Caro MP deve estar muito bem informado, mas eu digo-lhe que é uma das industrias mais poluidoras que patriciona os estudos das universidades.Estes exemplos são o espelho do PORTUGAL.

 
Às 27/11/11 , Anonymous Anónimo disse...

O sr MP esta contra quem sobrevive da pesca.Eu estou contra os parasitas que matam e roubam os pobres,para ganharem MILHÕES casos BPN,VARAS,LIMAS etc etc.

 
Às 27/11/11 , Anonymous Anónimo disse...

Para mim esse MP é mais um biólogo com cunha a mamar das nossas contribuições, e os dados que manda para o ar "não dá a bota com a predigota"
Claro que na pesca existem infractores como em todas as actividades mas é uma minoria agora os intelectuais como o MP muitas vezes aldabram os estudos em proveito próprio e para mostrar trabalho prejudicando muita boa gente.
Mas o que é que você percebe de diários de pesca e fala na adultração dos mesmos, a sua conversa da treta leva-me a pensar de que é biologo de 3ª categoria,você é contra a pesca mas a favor de se gastar 2 milhões de € a plantar uma alga tipo erva numa pequena area de areia do parque marinho lol, essa alga em certos locais da costa Portuguesa não durou mais do que alguns meses.

 
Às 27/11/11 , Anonymous Anónimo disse...

O Navio Noruega fez um estudo relativamente recente desde o Cabo Espichel até Sines e principalmente na zona da barra do sado sobre a ausencia de algumas especies de peixe e o resultado foi a ausencia anormal de plâcton principal alimento de alguns peixes e segundo o estudo deve-se ao aumento da Poluição e não do excesso de pesca, podem consultar estes dados junto de algumas associações e OPs de pescadores e armadores.
O MP não sabe o que diz e espero que mostre dados concretos como o autor do blog sugere, se é que existem!...apenas tenho conhecimento do realizado por esse navio e facultado ás organizações.

RR

 
Às 28/11/11 , Blogger João Augusto Aldeia disse...

MP: é evidente que seria necessário um estudo científico para determinar quais as causas do desaparecimento de qualquer das espécies que povoavam estas costas. Pode ter sido a sobrepesca, pode ter sido a sobrepesca em conjunto com outras causas, e pode nem ter sido a sobrepesca.

 
Às 28/11/11 , Anonymous Anónimo disse...

Boa tarde,

Pelo teor de alguns comentários parece-me haver alguma confusão entre o utilizador MP e eu, CMP.

Defendi e defendo a integração do turismo náutico em Sesimbra... e sublinho a palavra integração porque a pesca dá, por enquanto, muito mais a Sesimbra do que as actividades lúdicas relacionadas com o mar! Basta meter a proa 30 milhas a norte para se ver um exemplo exactamente ao contrário, Cascais!

Como amante do mar, e impulsionador de alguma actividade náutica em Sesimbra, com o apoio logístico (nem sempre brilhante, diga-se) do Clube Naval de Sesimbra, não é com facilidade que vejo e revejo ataques à prática de actividades ligadas à náutica e ao mergulho!

Talvez esteja na altura de os Sesimbrenses acordarem para esta nova realidade, que como tenho vindo a dizer, FAZ PARTE DA SOLUÇÃO E NÃO DO PROBLEMA!!!

No entanto não deixa de ser engraçado constatar que os defensores acirrados do fim da náutica de recreio em Sesimbra estão informatizados, logo, não devem ser só pescadores profissionais a comentar este blog, já que esses andam no mar a lutar pela vida e pelos bolsos cheios dos grandes
armadores, que no conforto dos seus escritórios atiram umas bocas para aqui!!! Como dizia o Fernando Peça: ...e esta,hein?"

Bons Ventos

Para que não haja confusão a partir de hoje assino assim:

CMP - O defensor da integração da náutica de recreio e afins na realidade de Sesimbra!!!

 
Às 28/11/11 , Anonymous Anónimo disse...

Após leitura de alguns dos comentários arrogantes (não todos, sublinho !) fui invadido pela dúvida: será ignorância ou é apenas desonestidade argumentativa?! Custa-me a acreditar que pessoas aparentemente conhecedoras do sector da pesca profissional, não tenham consciência de uma realidade hoje exaustivamente comprovada: a pesca excessiva não só ameaça o equilíbrio e a viabilidade do todo o ecossistema marinho como também compromete os meios de subsistência das próprias comunidades piscatórias. Atribuir à poluição a responsabilidade única pelo estado de depauperação dos recursos marinhos, ilibando de culpas a pesca excessiva, só pode ser mesmo ignorância ou desonestidade intelectual. Entristece-me…

MP

 
Às 1/12/11 , Anonymous Anónimo disse...

Sugiro ao CMP que compre um barco se ser armador dá assim tanto dinheiro e que diga quais os armadores que estão sentados no escritório falo por sesimbra e não conheço nenhum dai achar os seus comentários de má fé.
Quanto ao MP todos os conhecem é o biologo do parque dele, aquele parque que tem uma inceneradora e muita gente a comer apenas os pescadores não podem tirar de lá o pão.

 
Às 3/12/11 , Anonymous Anónimo disse...

BEM DITO ANÓNIMO DE 1/12/11 GOSTAVA DE VER ESSES CMP E CM A ANDAREM 1 MES AO MAR E A GOVERNARREM A CASA DELES COM O QUE ALGUNS GANHAM NA PESCA, VI O QUE ACONTECEU AOS PESCADORES NAS CAXINAS E DEPOIS DE TUDO CONTINUAM A DIZER QUE O MAR É A VIDA DELES BRAVOS HOMENS

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

Aguarelas de Turner|  O amor pelas coisas belas |  Angola em Fotos  Aldrabas e fechaduras| Amigos da Dorna Meca| Amigos de Peniche| André Benjamim| Ao meu lado| Arrábida| (flora) Arrábida| (notícias) Arrastão| @tlanti§| Atlântico Azul| Atitude 180| Badamalos| Banda da SMS|  Barcos do Norte | B. dos Navios e do Mar| Blasfémias| Blue Moon I|  Boa Noite, Oh Mestre! | Canoa da Picada|  Carlos Sargedas |  Caminhos da Memória |  Catharsis |  Caxinas... de Lugar a freguesia  | Cetóbriga| Clube Leitura e Escrita| Coelho sem Toca| Cova Gala|  Crónicas de 1 jornalista | De Rerum Natura|  Desporto Saudável | Dias com Árvores| *** Dona Anita ***| Do Portugal Profundo| El mar és el camí| Espaço das Aguncheiras| Estórias de Alhos Vedros|  Estrada do Alicerce | Expresso da Linha|  Filosofia Extravagante | Finisterra| Flaming Nora| Grão de Areia| Gritos Mudos| Homes de Pedra en Barcos de Pau| Imagem e Palavra| Imagens com água| Imenso, para sempre, sem fim| O Insurgente| J. C. Nero| José Luis Espada Feio|  Jumento  Lagoa de Albufeira| Mar Adentro Ventosga| Magra Carta| Marítimo| Mil e uma coisas| Milhas Náuticas| Molino 42| My Littke Pink World| Nas Asas de um Anjo| Navegar é preciso|  Navios à Vista |  Nazaré | Neca| Nitinha| Noites 100 alcool| Nós-Sela| Nubosidade variabel| O Calhandro de Sesimbra|  Orçadela | Página dos Concursos| Pedras no Sapato|  Pedro Mendes | Pelo sonho é que vamos| Pescador| Pexito do Campo|  A Pipoca mais Doce | Ponto de encontro| Portugal dos Pequeninos|  Praia dos Moinhos |  Quartinete | Reflexus| Rui Cunha Photography| Rui Viana Racing| Rumo ao Brasil|  Ruy Ventura | Sandra Carvalho| Sesimbra arqueológica|  Sesimbra Jobs |  Sesimbra Jovem |  Sesimbra, três Freguesias, um Concelho| Se Zimbra|  Simplicidade | Singradura da relinga| Skim Brothers| Sonhar de pés presos à cama|  Tiago Ezequiel |  Tiago Pinhal |  Trans-ferir | Una mirada a la Ria de Vigo|          Varam'ess'aiola |  Ventinhos |


Canoa da Picada