ll

domingo, março 20, 2011

Rua D. Afonso Henriques.Afonso Henriques st.
[ clique para ampliar ]

22 Comentários:

Às 22/3/11 , Anonymous Anónimo disse...

Parece que por aqui passou um Tsunami.
Ninguém manda neste estado de coisas?
Onde está a CMS?
Passeante

 
Às 23/3/11 , Blogger J.A.Aldeia disse...

Um Tsunami? É uma obra no subsolo, caro comentador!
Costuma-se fazer assim: abre-se a vala, coloca-se a tubagem, depois tapa-se. É claro que sob uma escada de pedra é mais difícil, mas também se faz.
Estou a imaginar como faria o comentador: cavava um metro, colocava o tubo, depois tapava. Depois mais um metro, cavava, entubava e tapava. E assim sucessivamente, não é verdade?

 
Às 23/3/11 , Anonymous Anónimo disse...

Não não é verdade.
A sua ignorância não lhe permite objectar com eficácia nesta matéria.
Já dizia o pintor: "Não vá o sapateiro além da chinela".
Passeante

 
Às 23/3/11 , Anonymous Anónimo disse...

Sr. Aldeia,
Vejo que a matéria técnica de engenharia não é o seu forte.
Vou-lhe dar algumas dicas para melhorar as suas performances:
1 - Se tivesse havido um planeamento adequado, esta tubagem seria colocada anteriormente à execução da escada.
Sendo uma tomada de decisão à "posteriori":
2 - A tubagem deveria passar em "corete acessível", no muro que lhe é adjacente, para posterior acesso de manutenção ou modificação.
Desta forma:
3 - o lanço de escadas seria mantido intacto e a acessibilidade não seria prejudicada.
Boa noite

 
Às 24/3/11 , Anonymous Anónimo disse...

Talvez 3 meses passados após a conclusão da obra, vão ter de abrir novamente para aumentar a secção da tubagem, e, voltar a tapar a vala a protesto de ter surgido um imprevisto!
Como de costume, não é verdade?
José Calvário

 
Às 24/3/11 , Blogger J.A.Aldeia disse...

São então estes os nossos "especialistas"? Sejam bem-vindos! Não há nada como a boa disposição.

Depois do comentador que viu numa normal obra um Tsunami (deve andar a ver muita televisão) vem um "passeante" que, do alto da sua jactância, não diz nada: é o típico português que passa atestados de ignorância aos outros. É um "professor".

O que se despede com "boa noite", é igualmente cómico: sugere que a tubagem deveria ter sido colocada antes da construção da escada. Como a escada foi construída em 1944, nessa altura teriam de ter previsto esta necessidade de 2011. Isso, sim, é que seria planeamento, segundo o comentador.

Isto é Portugal no seu melhor: "especialistas" com soluções para tudo, só de olhar para uma foto, sem saberem exactamente do que se trata, ou quem executa a obra, ou dos custos das soluções alternativas que generosamente oferecem à plebe.

 
Às 24/3/11 , Anonymous Anónimo disse...

O senhor Aldeia não devia ser tendencioso ao escolher os posts que coloca no seu blog.
Ou seja, por regra deve expôr o que realmente explicita a realidade não selecionando posts que são verdadeiros conflitos com a autoridade municipal. Esses permitem tal como os politicos criarem uma desacreditação do que muitas das vezes é dito mas que corresponde à realidade do passado, do presente e do futuro!
Obrigado
José Calvário

 
Às 24/3/11 , Blogger J.A.Aldeia disse...

Eu não escolho nem deixo de escolher os posts em função de serem ou não conflituosos com a actividade municipal: fotografo como faria qualquer outro fotógrafo amador.
No caso desta foto, o que me chamou a atenção foi a alteração temporária desta escadaria, um lugar que me é bastante familiar pois morei aqui: era aqui "a minha rua". Tanto quanto sei, nem sequer é uma obra municipal, é apenas uma normal intervenção nas infraestruturas eléctricas e que está a decorrer normalmente, estando quase concluída.

 
Às 24/3/11 , Anonymous Anónimo disse...

Oh santa ignorância!
Porque será que o Sr. Aldeia defende incondicionalmente a Câmara Municipal e se ofende sempre com as críticas construtivas que lhe são feitas?
Não é ela que gere o espaço público?
Não é ela que aprova as soluções?
Não é ela que fiscaliza?
Não é ela que cobra os impostos?
Ora bolas.

 
Às 24/3/11 , Anonymous Anónimo disse...

Tanto perito em engenharia e só manifestam fortes palavras de ignorância.
Tão perspicazes que são, que nem reparam que a obra é da EDP e que é para resolver um problema que existe ali e chateia todos os que lá moram (como eu).
É um iniciativa de aplaudir, esperemos que a PT e a Cabovisão sigam o mesmo caminho.

Pexito Atento

 
Às 24/3/11 , Anonymous Anónimo disse...

O anónimo do "Boa noite" deve ser engenheiro civil ou arquitecto, para "perceber" tanto do assunto.
Tão astuto que devia reparar que para ter uma courete num muro daqueles significava fazer outro muro ao lado daquele.
Deve ter parte no LOBBY da construção ou então é empreiteiro que trabalha para a Câmara.

 
Às 24/3/11 , Blogger J.A.Aldeia disse...

Não há aqui nos vossos comentários nenhuma crítica construtiva, apenas bazófia - e, neste caso, bazófia cómica. Já agradeci os momentos de humor, e volto a agradecer.
Não falei em Câmara, não é uma obra da Câmara, por aí também podem tirar o cavalinho da chuva.

 
Às 25/3/11 , Anonymous Ana disse...

- Será que ninguém consegue dar uma opinião construtiva?
- O Sr. João Aldeia pode até ser tendencioso, mas o autor do blog, é ele e dentro da nossa "casa" meus senhores, mandamos NÓS, se ele fosse mesmo tendencioso removia todos estes comentários escritos anónimamente, que só transmitem a ignorância e a estupidez dos seus autores.
Ainda bem que estam a fazer esta obra e que muitas e muitas tenham a possibilidade de existir, no nosso Municipio e em todos os outros deste País.
Ana

 
Às 27/3/11 , Anonymous Anónimo disse...

Ao Sr. Anónimo de 23/03/2011, se verificou nas escadaria, se é que alguma vez lá passou, está inscrito "1945", referente ao ano de construção. Tenho fotos nesta mesma escada com os meus pais com a idade de 1 ano (tenho agora 37...), sendo por isso planear um tubo antes da construção da escada um bocado rídicula, não acha???

 
Às 27/3/11 , Anonymous Anónimo disse...

Tudo pode ser ridículo, até os comentários despropositados, como são também os casos de alguns comentadores anónimos e por alguém identificado por Ana.
Passeante

 
Às 28/3/11 , Blogger José Luís Espada Feio disse...

SIC TRANSIT GLORIA MUNDI, diziam sabiamente os romanos, que, ao que consta, também passaram por Sesimbra.

 
Às 28/3/11 , Anonymous Anónimo disse...

Olá Zé Luís!
Já que estamos numa de latim, com referência a uma frase utilizada na coroação de um Papa,interrompida por um monge...
Não digo mais, mas apenas isto:

"DE MINIMIS NON CURAT PRAETOR"

Boa noite

 
Às 28/3/11 , Anonymous Anónimo disse...

Nesta situação: "RES NON VERBA"
S

 
Às 29/3/11 , Blogger José Luís Espada Feio disse...

O "DE MINIMIS NON CURAT PRAETOR" aplicava-se na Roma Antiga, sociedade entre todas a mais evoluída e onde os Pretores, de facto, não cuidavam das causas menores. Hoje, neste Portugal pelos vistos pouco romanizado, assenta melhor um "DE MAXIMIS NON CURAT PRAETOR", que os "pretores" da praça preocupam-se bem mais com as questiúnculas do que em resolver os verdadeiros problemas da "RES PUBLICA".

 
Às 29/3/11 , Anonymous Anónimo disse...

Volto à questão.
Não será:
"MAXIMIS OCCUPATI NEGOTIIS AD PUSILLA QUAEDAM CONNIVENT GLORIA MUNDI".
Por aqui me fico.

 
Às 2/4/11 , Anonymous Anónimo disse...

Vão mas é todos à xinxa, e deixem arranjar as escadas e os pontos de luz!!!!

 
Às 3/4/11 , Anonymous Anónimo disse...

É por estas e por outras e por se deixar fazer o que cada um quer, que Sesimbra está atafulhada de mamarrachos.
As ruas parecem "paliteiros".
A praia vai ser destruída pela acção marítima, também, devido ao posicionamento do novo molhe.
As verbas disponíveis e outras, são gastas à papo-seco.
Há que ter competência e ponderação e saber minimamente das funções que lhe estão atribuídas. Caso contrário, demitam-se.

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

Aguarelas de Turner|  O amor pelas coisas belas |  Angola em Fotos  Aldrabas e fechaduras| Amigos da Dorna Meca| Amigos de Peniche| André Benjamim| Ao meu lado| Arrábida| (flora) Arrábida| (notícias) Arrastão| @tlanti§| Atlântico Azul| Atitude 180| Badamalos| Banda da SMS|  Barcos do Norte | B. dos Navios e do Mar| Blasfémias| Blue Moon I|  Boa Noite, Oh Mestre! | Canoa da Picada|  Carlos Sargedas |  Caminhos da Memória |  Catharsis |  Caxinas... de Lugar a freguesia  | Cetóbriga| Clube Leitura e Escrita| Coelho sem Toca| Cova Gala|  Crónicas de 1 jornalista | De Rerum Natura|  Desporto Saudável | Dias com Árvores| *** Dona Anita ***| Do Portugal Profundo| El mar és el camí| Espaço das Aguncheiras| Estórias de Alhos Vedros|  Estrada do Alicerce | Expresso da Linha|  Filosofia Extravagante | Finisterra| Flaming Nora| Grão de Areia| Gritos Mudos| Homes de Pedra en Barcos de Pau| Imagem e Palavra| Imagens com água| Imenso, para sempre, sem fim| O Insurgente| J. C. Nero| José Luis Espada Feio|  Jumento  Lagoa de Albufeira| Mar Adentro Ventosga| Magra Carta| Marítimo| Mil e uma coisas| Milhas Náuticas| Molino 42| My Littke Pink World| Nas Asas de um Anjo| Navegar é preciso|  Navios à Vista |  Nazaré | Neca| Nitinha| Noites 100 alcool| Nós-Sela| Nubosidade variabel| O Calhandro de Sesimbra|  Orçadela | Página dos Concursos| Pedras no Sapato|  Pedro Mendes | Pelo sonho é que vamos| Pescador| Pexito do Campo|  A Pipoca mais Doce | Ponto de encontro| Portugal dos Pequeninos|  Praia dos Moinhos |  Quartinete | Reflexus| Rui Cunha Photography| Rui Viana Racing| Rumo ao Brasil|  Ruy Ventura | Sandra Carvalho| Sesimbra arqueológica|  Sesimbra Jobs |  Sesimbra Jovem |  Sesimbra, três Freguesias, um Concelho| Se Zimbra|  Simplicidade | Singradura da relinga| Skim Brothers| Sonhar de pés presos à cama|  Tiago Ezequiel |  Tiago Pinhal |  Trans-ferir | Una mirada a la Ria de Vigo|          Varam'ess'aiola |  Ventinhos |


Canoa da Picada