ll

domingo, abril 18, 2010

Obras no Porto de Sesimbra.Works at Sesimbra harbour.
[ clique para ampliar ]

7 Comentários:

Às 20/4/10 , Anonymous Anónimo disse...

Em Sesimbra, este é o "Novo Muro da Vergonha"?
Alguém me consegue explicar qual a necessidade da construção desta aberração? Alguém me consegue explicar qual a razão da altura (disparatada) do dito muro? Alguém consegue justificar a razão que levou à demolição da antiga muralha e à construção desta "coisa" que descaracteriza a "nossa" marginal?
Parece-me, cada vez mais, que Sesimbra está entregue a uma cambada de MERCENÁRIOS, interessados, apenas, nos seus proveitos, lucros e vitórias e nada, mesmo nada, preocupados com a qualidade da nosssa terra e da vida dos Sesimbrenses!
Tenho esperança, que um dia, as nossas gentes percebam que Sesimbra tem que ser governada por quem gosta da terra e não por quem serve o partido amarelo, azul, ou vermelho!
Espero que esse dia esteja próximo!

Saudações Pexitas.

 
Às 20/4/10 , Anonymous Anónimo disse...

Como observador autonomo sem partidos e atento,parece-me que não se deve criticar antes da obra estar completa,pois á primeira vista dá a impressao que depois de finalizada a obra o muro nao vai ficar tao alto como parece.
Para alem disso, é de notar que a estrada parece que vai ficar mais larga.
Em minha opiniao esta obra nunca devia ter sido feita desta maneira , a construçao deste porto de abrigo veio tornar-se completamente desproporcional ás necessidades existentes,mas agora não vale a pena chorar.
O que está feito ,está feito e se forem feitas obras para melhorar o aspecto visual e funcional do local penso que é positivo.
Vamos ver,é esperar pelo fim da obra e depois aí sim criticar de forma sustentada a obra em questao.

 
Às 20/4/10 , Anonymous Anónimo disse...

Será que os representantes dos nossos Pescadores (Associações, sindicatos, a própria Artesanalpesca, etc )não têm opinião sobre esta aberração?

 
Às 20/4/10 , Anonymous Anónimo disse...

"... a construção deste porto de abrigo veio tornar-se completamente desproporcional às necessidades existentes"

Finalmente vejo alguém corroborar uma opinião que manifestei há algum tempo atrás neste mesmo blogue.

MP

 
Às 20/4/10 , Anonymous Anónimo disse...

Boa noite,

Mais betão onde não é necessário. Já aqui referi que não é necessário queimar neurónios, se é que os há. Basta ver nos países vizinhos como se faz.
Como não há pesca, porque não fazer a antiga praínha num local aprazível. Terraplanar toda a área e fazer locais de lazer, nomeadamente uma grande marina e equipamentos de apoio?
Aquela baía com integração do farol e molhes adjacentes fariam um local único no mundo.
Mãos à obra.
20-Abr-2010

 
Às 21/4/10 , Anonymous Anónimo disse...

O alargamento da via,parece-me realmente vantajosa, mas espero que as pedras da muralha original sejam recolocadas de forma a não descaracterizar o conhecido "Muro da Praia".
Já agora gostava de perceber como é que este muro não vai ficar assim tão alto, por exemplo, na frente do restaurante "Lobo do Mar" ou aplainam o muro, ou sobem a cota dos restaurante pelo menos um metro! Será?
Concordo! Vamos esperar para ver o resultado final.
Palpita-me que, sustentadamente, vamos ter razão para reclamar durante muitos e muitos anos, assim como tem acontecido com a maioria das obras realizadas recentemente.
Os factos confirmam que o hábito faz o Monge, e este(s) Monge(s)tem (têm) provado que tem (têm) muitos maus hábitos!

Saudações Pexitas.

 
Às 21/4/10 , Blogger J.A.Aldeia disse...

O porto actual não chega para as necessidades: não tem espaço que chegue. Um melhor ordenamento poderá resolver os problemas actuais, mas será sempre muito limitado para as possibilidades de crescimento das suas diversas actividades.

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

Aguarelas de Turner|  O amor pelas coisas belas |  Angola em Fotos  Aldrabas e fechaduras| Amigos da Dorna Meca| Amigos de Peniche| André Benjamim| Ao meu lado| Arrábida| (flora) Arrábida| (notícias) Arrastão| @tlanti§| Atlântico Azul| Atitude 180| Badamalos| Banda da SMS|  Barcos do Norte | B. dos Navios e do Mar| Blasfémias| Blue Moon I|  Boa Noite, Oh Mestre! | Canoa da Picada|  Carlos Sargedas |  Caminhos da Memória |  Catharsis |  Caxinas... de Lugar a freguesia  | Cetóbriga| Clube Leitura e Escrita| Coelho sem Toca| Cova Gala|  Crónicas de 1 jornalista | De Rerum Natura|  Desporto Saudável | Dias com Árvores| *** Dona Anita ***| Do Portugal Profundo| El mar és el camí| Espaço das Aguncheiras| Estórias de Alhos Vedros|  Estrada do Alicerce | Expresso da Linha|  Filosofia Extravagante | Finisterra| Flaming Nora| Grão de Areia| Gritos Mudos| Homes de Pedra en Barcos de Pau| Imagem e Palavra| Imagens com água| Imenso, para sempre, sem fim| O Insurgente| J. C. Nero| José Luis Espada Feio|  Jumento  Lagoa de Albufeira| Mar Adentro Ventosga| Magra Carta| Marítimo| Mil e uma coisas| Milhas Náuticas| Molino 42| My Littke Pink World| Nas Asas de um Anjo| Navegar é preciso|  Navios à Vista |  Nazaré | Neca| Nitinha| Noites 100 alcool| Nós-Sela| Nubosidade variabel| O Calhandro de Sesimbra|  Orçadela | Página dos Concursos| Pedras no Sapato|  Pedro Mendes | Pelo sonho é que vamos| Pescador| Pexito do Campo|  A Pipoca mais Doce | Ponto de encontro| Portugal dos Pequeninos|  Praia dos Moinhos |  Quartinete | Reflexus| Rui Cunha Photography| Rui Viana Racing| Rumo ao Brasil|  Ruy Ventura | Sandra Carvalho| Sesimbra arqueológica|  Sesimbra Jobs |  Sesimbra Jovem |  Sesimbra, três Freguesias, um Concelho| Se Zimbra|  Simplicidade | Singradura da relinga| Skim Brothers| Sonhar de pés presos à cama|  Tiago Ezequiel |  Tiago Pinhal |  Trans-ferir | Una mirada a la Ria de Vigo|          Varam'ess'aiola |  Ventinhos |


Canoa da Picada