ll

quarta-feira, janeiro 27, 2010

Malvadas, traje "metade homem metade mulher", no Carnaval de 1979. Início do desfile frente aos Bombeiros (vê-se ainda a porta do Sanica).Carnival in Sesimbra, 1979.
[ clique para ampliar ]

5 Comentários:

Às 27/1/10 , Anonymous Anónimo disse...

À frente parece a Rosa!

 
Às 28/1/10 , Anonymous Anónimo disse...

E é mesmo a Rosa. A seguir é a Olga Palmela e depois a Zá.
Este grupo era na grande maioria constituído pelas jovens que tinham integrado a pioneira das escolas de samba em Sesimbra, sob a direcção do mestre Reinaldo " Os Cheirinhos da Fossa", que desfilou apenas no primeiro ano.

JPA.

 
Às 1/2/10 , Blogger ROSARIO disse...

Foi um
Foi um fato q ainda hoje ninguém se esquece ... tinhamos mta garra .. penso q tb originalidade..
obrigada .
ZÁ .

 
Às 4/2/10 , Blogger Maria Lopes disse...

Lá ia a minha mãe no Carnaval... Sim senhora!

 
Às 7/2/10 , Blogger a_admiradora disse...

As malvadas, nome que o sr Damião no clube sesimbrense nos chamava, por jogarmos King e dados diariamente. "grandes malvadas"
O primeiro anos que os cheirinhos da fossa desfilaram na rua foi em 1976, sozinhos sem mais nenhuma escola, iamos vestidas de baianas com umas chitas que compramos na Loja do Adelino e os rapazes iam de calças brancas com uns coletes iguais ás nossas saias e com um chapeu de palha e nós com uns lenços à carmen Miranda. Ja tinhamos carro, feito pelo Mario João Sargedas, era um carro de regulamentos mas em ponto grande tinha uma concha e dentro de essa concha estava uma cadeira do clube sesimbrense onde a Fernanda Sargedas estava sentada, nessa altura só tinhamos rainha.
Não me lembro o porque de termos vindo para a rua durante o dia de terça feira mas lembro me de ver muita gente a ver nos. ainda hj penso que se há desfile em sesimbra foi por causa daquela saida dos cheirinhos da fossa.
No ano seguinte, sairam os cheirinhos da fossa vestidos de can can e o ginga do pandeiros de anos vinte e só no ano seguinte é que apareceram mais escolas.

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

Aguarelas de Turner|  O amor pelas coisas belas |  Angola em Fotos  Aldrabas e fechaduras| Amigos da Dorna Meca| Amigos de Peniche| André Benjamim| Ao meu lado| Arrábida| (flora) Arrábida| (notícias) Arrastão| @tlanti§| Atlântico Azul| Atitude 180| Badamalos| Banda da SMS|  Barcos do Norte | B. dos Navios e do Mar| Blasfémias| Blue Moon I|  Boa Noite, Oh Mestre! | Canoa da Picada|  Carlos Sargedas |  Caminhos da Memória |  Catharsis |  Caxinas... de Lugar a freguesia  | Cetóbriga| Clube Leitura e Escrita| Coelho sem Toca| Cova Gala|  Crónicas de 1 jornalista | De Rerum Natura|  Desporto Saudável | Dias com Árvores| *** Dona Anita ***| Do Portugal Profundo| El mar és el camí| Espaço das Aguncheiras| Estórias de Alhos Vedros|  Estrada do Alicerce | Expresso da Linha|  Filosofia Extravagante | Finisterra| Flaming Nora| Grão de Areia| Gritos Mudos| Homes de Pedra en Barcos de Pau| Imagem e Palavra| Imagens com água| Imenso, para sempre, sem fim| O Insurgente| J. C. Nero| José Luis Espada Feio|  Jumento  Lagoa de Albufeira| Mar Adentro Ventosga| Magra Carta| Marítimo| Mil e uma coisas| Milhas Náuticas| Molino 42| My Littke Pink World| Nas Asas de um Anjo| Navegar é preciso|  Navios à Vista |  Nazaré | Neca| Nitinha| Noites 100 alcool| Nós-Sela| Nubosidade variabel| O Calhandro de Sesimbra|  Orçadela | Página dos Concursos| Pedras no Sapato|  Pedro Mendes | Pelo sonho é que vamos| Pescador| Pexito do Campo|  A Pipoca mais Doce | Ponto de encontro| Portugal dos Pequeninos|  Praia dos Moinhos |  Quartinete | Reflexus| Rui Cunha Photography| Rui Viana Racing| Rumo ao Brasil|  Ruy Ventura | Sandra Carvalho| Sesimbra arqueológica|  Sesimbra Jobs |  Sesimbra Jovem |  Sesimbra, três Freguesias, um Concelho| Se Zimbra|  Simplicidade | Singradura da relinga| Skim Brothers| Sonhar de pés presos à cama|  Tiago Ezequiel |  Tiago Pinhal |  Trans-ferir | Una mirada a la Ria de Vigo|          Varam'ess'aiola |  Ventinhos |


Canoa da Picada