ll

quinta-feira, abril 16, 2009

Sesimbra
Novo edifício comercial na Venda Nova.New discount store at Venda Nova.
[ clique para ampliar ]

14 Comentários:

Às 16/4/09 , Anonymous Anónimo disse...

Que Bom .

 
Às 16/4/09 , Anonymous Anónimo disse...

Que comentário se pode fazer a este novo empreendimento? O que justifica mais um edifício comercial? Quem é o responsável por isto? Quem vai pagar as consequências? Quem vai lucrar? Todos, ou só alguns?
Haverão, certamente, mais perguntas a fazer.

 
Às 16/4/09 , Anonymous Anónimo disse...

Mais uma venda nova!

 
Às 16/4/09 , Blogger J.A.Aldeia disse...

Bem observado: é uma venda nova na Venda Nova. Já corrigi o erro, obrigado.

 
Às 17/4/09 , Anonymous A verdade, sempre a verdade disse...

Com o licenciamento de mais esta superficie comercial está dado o derradeiro impulso da Câmara Municipal de Sesimbra ao comércio tradicional.

Proposta a J.A.:
Tire umas fotos às construções aprovadas pela Câmara e em plena execução no lado poente da Vila junto à Assenta (em frente ao Condominio Porto de Abrigo e por baixo daquela coisa dos terraços do Castelo). Conseguirá belas fotografias do horror que é a política urbanistica da CMS.

 
Às 17/4/09 , Anonymous Helena Vidal disse...

Creio, conter alguma ironia, o comentário de "A verdade, sempre a verdade disse...", quando escreve "...está dado o derradeiro impulso da Câmara Municipal de Sesimbra ao comércio tradicional."

Pois eu entendo que se o comércio tradicional que continuar a tirar os seus dividendos só terá que apostar na qualidade. E a concorrência "puxa" por isso.
Melhorem os seus estabelecimentos, cuidem da apresentação e formação dos seus funcionários, sem esquecer, obviamente, aquela simpatia e atendimento personalizado que tanto nos agrada - ainda há um par de meses, numa das minha idas a Sesimbra, fui atendida por uma menina mascando pastilha elástica(!!!) - e assim conseguirão fazer concorrência.

Aliás, dou-vos um exemplo. Almada tem, somente, como concorrente a cidade de Lisboa.
E o que é que se tornou Almada? Uma agradável cidade onde, entre muitas outras coisas, mantêm o seu comércio tradicional. E, apesar de outra "grande superfície" ali tão perto - o Fórum - o mercado municipal mantêm-se sem concorrência.

É, absolutamente, inusitado este discurso do papão que veio para tirar o "pão" a quem já cá está.

Considerem, antes, um incentivo.

O "velho do restelo" já era!

Helena Vidal

 
Às 18/4/09 , Anonymous Anónimo disse...

Triste! Triste uma terra tão pequena como a nossa conter tantos monstrinhos destes.
Não é sustentável...
Tira dinâmica dos centros ditos históricos, cria novos centros desnecessários...
Onde está quem era suposto tomar conta disto tudo?
Sim licenciem mais grandes superficies, façam obras de melhoramento (tirem as passadeiras deitem fora os lancis.... arranquem árvores...)

Por vezes faz falta as coisas serem bem feitas... Não nos atirem areia para a cara com gastos que não revelam resultados que justifiquem...

P.S.: peço desculpa por ter saido um pouco fora do tema, mas há coisas que não compreendo...

 
Às 18/4/09 , Anonymous Anónimo disse...

Já agora alguém sabe a que grupo pertence esta nova superfície?

 
Às 18/4/09 , Blogger Don'Ana disse...

Vai ser um Modelo (Continente)!
Acho mesmo que agora já chega de tantos supermercados!
E parece que vamos ter uns quantos SPAs na vila!

Fica a pergunta no ar: Será que é mesmo no ano lectivo de 2010/11 que a nova escola do 1º ciclo será inaugurada?
É que limparam o terreno e ficaram por aí ^_^ pelo menos as traseiras da 2-3 de Santana tem um ar mais... limpo!

 
Às 18/4/09 , Anonymous Anónimo disse...

Só é pena estas superficies comerciais se centrarem todas no mesmo local em vez de se descentralizarem .

 
Às 18/4/09 , Anonymous Anónimo disse...

comercio tradicional já era

 
Às 19/4/09 , Blogger Zé do Cão disse...

Não era tempo de fazerem um parque de estacionamento, grande, grande... É que Sesimbra não os tem e tanta falta faz. Agora não, mas depois de terem esse parque, porque não proibir as viaturas na marginal. As belezas de Sesimbra merecem todo o apoio e carinho.

 
Às 20/4/09 , Anonymous Lena disse...

Lá se vão as pequenas "mercearias" que ainda teimam em existir e nãp sei como.
Lá se vão alguns "prontos-a-vestir".
E mais cuidem-se as lojas de Electrodomésticos.
Acho que me fiz entender!!!!!!
Lena

 
Às 20/4/09 , Anonymous SHK disse...

Se já está mau para as mercearias locais, agora vai arrasar completamente. Se a abertura dos Pingo Doce e Super Sol afectou essencialmente o ramo da alimentação, o Modelo com as lojas Worten e Modalfa afectará outros mais; Electrodomésticos, Informática, Fotografia, Lojas de Telemóveis, Vestuário, etc.
Sim, é verdade que criará postos de trabalho, postos de trabalho essencialmente para jovens mas que no entanto é sempre um trabalho precário. Os trabalhadores funcionam em regime de contracto de trabalho a termo certo (normalmente 6 ou 12 meses), não é com este tipo de emprego que se consegue ter uma carreira e segurança financeira para constituir uma família. Se cada vez mais existe desigualdade social, os grandes espaços são mais um factor que levam a isso. A culpa não é só do governo e das autarquias que permitem a sua construção, a culpa é de todos nós que infelizmente dia após dia lá vamos gastar os nossos euros. É verdade que lá ir é fácil, temos estacionamento, existem lojas de tudo e estão abertos por vezes até à meia-noite, são estes três factores que levam as pessoas a lá ir, e não o preço das coisas que por lá se compram. Temos o exemplo da Fnac, a grande maioria das coisas que lá se compra tem um valor superior ao valor praticado em lojas da especialidade (Informática, TV/Video/Audio, Livros, etc), e no entanto está sempre cheia e porquê? Porque para além dos três factores anteriormente referidos tem ainda a vantagem de ser um espaço agradável o que leva as pessoas muitas vezes a esquecer o preço e a frequentarem a loja. O comércio tradicional apenas tem um factor a seu favor face aos grandes espaços que é o serviço e proximidade com o cliente, mas isso hoje em dia nem sempre tem muito valor pois o cliente antes de entrar na loja já sabe o que quer e apenas procura o preço mais baixo. Mas o preço mais baixo o comércio tradicional até tem, o que não tem é clientes a frequentarem as suas lojas, muito por culpa dos factores anteriormente referidos. Quanto a mim o único que é difícil de contrariar por parte do comércio tradicional é o horário de funcionamento, quem tem uma loja sabe que não é rentável que esta esteja aberta após as 20:30 no máximo. Em Espanha e outros países da Europa o horário dos grandes espaços não é tão alargado e o Domingo é considerado um dia da família pelo que o único comércio que é permitido estar aberto são de coisas essências, os grandes espaços nem pensar. Se a nossa sociedade vive com horários para quase tudo porque razão o comércio tem de ser excepção?

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

Aguarelas de Turner|  O amor pelas coisas belas |  Angola em Fotos  Aldrabas e fechaduras| Amigos da Dorna Meca| Amigos de Peniche| André Benjamim| Ao meu lado| Arrábida| (flora) Arrábida| (notícias) Arrastão| @tlanti§| Atlântico Azul| Atitude 180| Badamalos| Banda da SMS|  Barcos do Norte | B. dos Navios e do Mar| Blasfémias| Blue Moon I|  Boa Noite, Oh Mestre! | Canoa da Picada|  Carlos Sargedas |  Caminhos da Memória |  Catharsis |  Caxinas... de Lugar a freguesia  | Cetóbriga| Clube Leitura e Escrita| Coelho sem Toca| Cova Gala|  Crónicas de 1 jornalista | De Rerum Natura|  Desporto Saudável | Dias com Árvores| *** Dona Anita ***| Do Portugal Profundo| El mar és el camí| Espaço das Aguncheiras| Estórias de Alhos Vedros|  Estrada do Alicerce | Expresso da Linha|  Filosofia Extravagante | Finisterra| Flaming Nora| Grão de Areia| Gritos Mudos| Homes de Pedra en Barcos de Pau| Imagem e Palavra| Imagens com água| Imenso, para sempre, sem fim| O Insurgente| J. C. Nero| José Luis Espada Feio|  Jumento  Lagoa de Albufeira| Mar Adentro Ventosga| Magra Carta| Marítimo| Mil e uma coisas| Milhas Náuticas| Molino 42| My Littke Pink World| Nas Asas de um Anjo| Navegar é preciso|  Navios à Vista |  Nazaré | Neca| Nitinha| Noites 100 alcool| Nós-Sela| Nubosidade variabel| O Calhandro de Sesimbra|  Orçadela | Página dos Concursos| Pedras no Sapato|  Pedro Mendes | Pelo sonho é que vamos| Pescador| Pexito do Campo|  A Pipoca mais Doce | Ponto de encontro| Portugal dos Pequeninos|  Praia dos Moinhos |  Quartinete | Reflexus| Rui Cunha Photography| Rui Viana Racing| Rumo ao Brasil|  Ruy Ventura | Sandra Carvalho| Sesimbra arqueológica|  Sesimbra Jobs |  Sesimbra Jovem |  Sesimbra, três Freguesias, um Concelho| Se Zimbra|  Simplicidade | Singradura da relinga| Skim Brothers| Sonhar de pés presos à cama|  Tiago Ezequiel |  Tiago Pinhal |  Trans-ferir | Una mirada a la Ria de Vigo|          Varam'ess'aiola |  Ventinhos |


Canoa da Picada