ll

segunda-feira, março 02, 2009

Sesimbra

Sesimbra Sesimbra
Sesimbra Sesimbra
Sesimbra Sesimbra
Sesimbra
Desfile de Carnaval (VII)Carnival Parade (VII)
[ clique para ampliar ]

9 Comentários:

Às 2/3/09 , Anonymous Anónimo disse...

O melhor do Carnaval de Sesimbra, são estas pessoas que do seu bolso fazem rir quem ve o desfile.

 
Às 2/3/09 , Anonymous Anónimo disse...

concordo plenamente com este anónimo!!!
Eu sinceramente e peço que me desculpem mas é esta a minha visão.
cada vez mais eu acho que só mudam as cores,um pouco como na politica mudam as espressões mas as pessoas são sempre as mesmas cada vez mais barrigudas toda a gente tem direito de desfilar em uma escola de samba mas minha gente há fatos adequados a cada estilo de pessoa!!!
acho eu!
No entanto premeio como a primeira escola o Trepa e logo ao seu lado o Bota o resto foi fogo de vista
e ainda não compreendo como podem por uma escola na frente como a dá que falar?????????????

 
Às 3/3/09 , Blogger J.A.Aldeia disse...

Penso que estão a ser muito injustos para com as escolas e grupos de samba: sem eles não haveria desfile; julgo que estes foliões dos triciclos têm muito valor, mas provavelmente foram também motivados pela possibilidade de mostrar a sua criatividade e alegria a centenas de pessoas — ora, esse público deve-se ao samba, não é verdade?

Espanta-me esta má vontade para com as escolas e blocos carnavalescos; as observações preconceituosas contra a "celulite" ou os "barrigudos" que desfilam fazem-me ter pena de quem as exprime: hão-de dizer-me onde é que fica o vosso caixote do lixo... Pelo contrário, admiro as pessoas de mais idade que não têm preconceitos em desfilar no Carnaval.

O facto de haver, em cada ano, grupos melhores e piores, é inevitável: afinal todos se esforçam por fazer o melhor; dá vontade de perguntar a este anónimo: se mandasse, deixava desfilar o Bota e o Trepa e impedia os outros? Censurava a Dá que Falar? Que ideia tão ridícula!

Os carros-peixe, ou triciclos, desfilaram entre os grupos no Domingo, e no final na terça-feira; compreendo que tenham protestado, mas não vejo razão para culpar as escolas e grupos carnavalescos, pois também não vejo razão para qualquer deles desfilar nos últimos lugares. Talvez o desfile tenha de começar ainda mais cedo, mas isto é um bom sinal: tomara a muitas terras terem este problema de haver tanta gente a desfilar que uma tarde parece ser insuficiente para que todos aproveitem em pleno a luz do Sol.

 
Às 3/3/09 , Anonymous Anónimo disse...

Se todos fizerem como eu. Eu já há mais de 3 anos que não vou a sesimbra ao Carnaval. Não tenho nada contra o Carnaval. mas prefiro ir mascarado e brincar do que ver desfiles. Para ver desfiles vou para o Brasil. lá é que é o chamado corso.

 
Às 3/3/09 , Blogger J.A.Aldeia disse...

Caro anónimo: em Sesimbra também há pessoas que se mascaram e que brincam: nos desfiles das escolas e blocos, no desfile de palhaços, na noite sesimbrense, pela rua e em bares. Ainda bem que não vai toda a gente para o Brasil. E ainda bem que o caro anónimo pode ir todos os anos para o Carnaval do Brasil. Acima de tudo desejamos que todos se divirtam.

 
Às 3/3/09 , Anonymous Anónimo disse...

Acho que o "samba" está cada vez mais a monopolizar o carnaval em Sesimbra , talvez seja um sinal dos tempos mas eu , talvez por não ser grande adepto desta nova moda , preferia as brincadeiras/partidas típicas da época , os bailes de máscaras , os mascarados que saiam à rua durante o dia cada um com a sua fantasia , as cegadas , enfim carnaval , agora parece que se resume a um desfile .

 
Às 3/3/09 , Blogger J.A.Aldeia disse...

     Isso não é totalmente verdade. Continua a haver cegadas (a sua "descida" à vila é que é uma modernice) e muitas máscaras à noite: pode-se ir ao Valdemar ver quantas fotos tirou ele frente ao Grémio. Os jovens, obviamente, deixaram de ir aos bailes de colectividades e preferem os bares e discotecas.
     Há sempre coisas que mudam. Quem queria o mundo estático também devia manter os mesmos hábitos. Ora antigamente saía-se mais para a rua, hoje as pessoas ficam em casa, onde há mais conforto, televisão com muitos canais, etc. Talvez o caro comentador seja desses que já não sai. Mas quem andou pelas ruas de Sesimbra, de noite, teve muito que ver.
     É diferente do que acontecia nos anos 60, mas eu também me lembro de como eram essas brincadeiras dos dominós, e não me parece que as pessoas se divertissem mais do que hoje. Mas é tão fácil mitificar o passado e fazer dele aquilo que não foi.
     Os jovens divertem-se e passam bem sem essas teorias revivalistas, tenho visto grupos grandes, mesmo muito novinhos, por vezes começam com um convívio numa pizzaria e depois a noite é deles. A mim parece-me que se divertem mais do que os jovens desses anos velhos, na realidade uma época conservadora, plena de preconceitos.

 
Às 4/3/09 , Anonymous Anónimo disse...

Opiniões...Quanto a mitificar o passado fazendo dele aquilo que não foi , só se fala por si , eu diverti-me bastante e tenho saudades desse tempo sim! Mesmo que não queiramos e a alguns não dê muito jeito ,é impossivel apagar o passado, sem ele não existe presente nem futuro ,goste-se ou não.

 
Às 5/3/09 , Blogger J.A.Aldeia disse...

Então e eu não me diverti? Vivi bem esse tempo, quer na adolescência despreocupada em Sesimbra, quer na agitação estudantil dos anos na Universidade. Mas o tempo mudou, e mudou para melhor, no que respeita à socialização das pessoas. Por isso continuo a dar-me bem com o tempo presente, aproveitando-o como posso, e jamais clamando pelo regresso de tempos idos.

Escreveu uma coisa muito certa: que eu falo por mim. Eu falo sempre por mim. Às vezes fica um pouco estranho, porque destoo da aparente unanimidade dos que falam alto, e pode acontecer que os outro estejam certos e eu errado, mas isso não me tira o sono: é sempre bom pensar pela própria cabeça, mesmo se por vezes nos enganamos.

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

Aguarelas de Turner|  O amor pelas coisas belas |  Angola em Fotos  Aldrabas e fechaduras| Amigos da Dorna Meca| Amigos de Peniche| André Benjamim| Ao meu lado| Arrábida| (flora) Arrábida| (notícias) Arrastão| @tlanti§| Atlântico Azul| Atitude 180| Badamalos| Banda da SMS|  Barcos do Norte | B. dos Navios e do Mar| Blasfémias| Blue Moon I|  Boa Noite, Oh Mestre! | Canoa da Picada|  Carlos Sargedas |  Caminhos da Memória |  Catharsis |  Caxinas... de Lugar a freguesia  | Cetóbriga| Clube Leitura e Escrita| Coelho sem Toca| Cova Gala|  Crónicas de 1 jornalista | De Rerum Natura|  Desporto Saudável | Dias com Árvores| *** Dona Anita ***| Do Portugal Profundo| El mar és el camí| Espaço das Aguncheiras| Estórias de Alhos Vedros|  Estrada do Alicerce | Expresso da Linha|  Filosofia Extravagante | Finisterra| Flaming Nora| Grão de Areia| Gritos Mudos| Homes de Pedra en Barcos de Pau| Imagem e Palavra| Imagens com água| Imenso, para sempre, sem fim| O Insurgente| J. C. Nero| José Luis Espada Feio|  Jumento  Lagoa de Albufeira| Mar Adentro Ventosga| Magra Carta| Marítimo| Mil e uma coisas| Milhas Náuticas| Molino 42| My Littke Pink World| Nas Asas de um Anjo| Navegar é preciso|  Navios à Vista |  Nazaré | Neca| Nitinha| Noites 100 alcool| Nós-Sela| Nubosidade variabel| O Calhandro de Sesimbra|  Orçadela | Página dos Concursos| Pedras no Sapato|  Pedro Mendes | Pelo sonho é que vamos| Pescador| Pexito do Campo|  A Pipoca mais Doce | Ponto de encontro| Portugal dos Pequeninos|  Praia dos Moinhos |  Quartinete | Reflexus| Rui Cunha Photography| Rui Viana Racing| Rumo ao Brasil|  Ruy Ventura | Sandra Carvalho| Sesimbra arqueológica|  Sesimbra Jobs |  Sesimbra Jovem |  Sesimbra, três Freguesias, um Concelho| Se Zimbra|  Simplicidade | Singradura da relinga| Skim Brothers| Sonhar de pés presos à cama|  Tiago Ezequiel |  Tiago Pinhal |  Trans-ferir | Una mirada a la Ria de Vigo|          Varam'ess'aiola |  Ventinhos |


Canoa da Picada