ll

domingo, janeiro 25, 2009

Sesimbra
[ clique para ampliar ]
A Tragédia: não era anuário, nem hebdomanário, nem semanário: era sim o único "horário" publicado em todo o mundo.The Tragedy: handwritten humorous newspaper of 1932, published "hourly" by João Pereira Ramada Crespo.
Creio que João Pereira Ramada Crespo, empresário-tipógrafo, tenha sido o mais criativo e diversificado jornalista de Sesimbra. Repórter, cronista (já em 1933, seis anos antes da II Guerra Mundial, publicava no Sesimbrense uma crónica contra "Hitler, o Títere"), grande efabulador, animador voluntarioso do meio cultural sesimbrense, João Ramada Crespo foi ainda o criador do jornal manuscrito e humorístico A Tragédia, o "horário trágico" que "não tem ideias", fundado por Pele e Osso.
LARGUEM O HOMEM
     TENHAM dignidade, senhores! Mostrem o rosto, poltrões! Para que servem as cartas anónimas repletas de ameaças, que eu todos os dias a todas as horas recebo?! Parvos, grandíssimos idiotas que julgais que eu só sei empunhar a pena!
     Venham para mim, cara a cara, e repitam as ameaças. Não tremam, canalhas.
     Perdão, tremam agora ricos, poderosos, chantagistas, escroc's e toda a ralé que me ladra às canelas. Com que então ameaças!...
     Pois veremos quem leva a melhor.
     "A Tragédia", que eu superior e inferiormente dirijo tem poupado alguns facínoras de alto calibre. Pois bem, daqui em diante não poupará ninguém. É malandro? Desmascara-se.
     Tremam, senhores, tremam!

FORÇA ARMADA
     Há dias fomos surpreendidos pela chegada de alguns milhares de soldados armados até aos dentes, com artilharia pesada e leve, que pôs em alvoroço a população.
     "A Tragédia", sempre em dia com todos os acontecimentos, pode informar que esse batalhão foi requisitado pelo sr. João Mota para dar batalha a um formidável exército de pulgas que se apoderou do seu Salão de Espectáculos.

6 Comentários:

Às 26/1/09 , Anonymous Luís Cagica disse...

Tive o previlégio de entrar muitas vezes na sua oficina na rua da "Palmeira", para encomendar a impressão de publicidade, a mando do meu avô José Miguel Dias. O Sr. João Crespo era um Cavalheiro, não se importava de perder alguns minutos a explicar aos miúdos a sua arte de impressão com os caracteres de chumbo. Aproveito para enviar um abraço ao seu filho Luís.

 
Às 26/1/09 , Anonymous M.E. disse...

Só para esclarecer: João Pereira Ramada Crespo era o mais velho da família, o autor do texto e que faleceu 1º; o Luis é filho do mais novo, Manuel Pereira Crespo, falecido há 3 anos.
M.E.

 
Às 27/1/09 , Anonymous Luís Cagica disse...

Agradeço o esclarecimento, estava efectivamente a referir-me ao pai do Luís. Na idade que tinha conhecíamos os mais velhos pelo apelido, e não resisti a comentar porque lembro-me o encanto que eu e os meus amigos tínhamos quando descíamos aqueles degraus e víamos a técnica de impressão, tão deslumbrante como as novas tecnologias para os jovens de hoje.

 
Às 27/1/09 , Anonymous Luís Cagica disse...

Para M.E.: Além do esclarecimento ficando a saber um pouco mais acerca dos Homens que promoveram a cultura na nossa terra, como foi o caso do seu Pai, quero deixar uma nota, recordando com saudade o meu colega José Manuel R C pelo seu "low profile" e inteligência. Os meus Cumprimentos.

 
Às 27/1/09 , Anonymous M.E. disse...

Fico sensibilizada com estas palavras. Obrigada Cagica!

 
Às 3/4/09 , Anonymous Leivinha disse...

O meu tio João era o maior a fazer palavras cruzadas.E mais coisas...

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

Aguarelas de Turner|  O amor pelas coisas belas |  Angola em Fotos  Aldrabas e fechaduras| Amigos da Dorna Meca| Amigos de Peniche| André Benjamim| Ao meu lado| Arrábida| (flora) Arrábida| (notícias) Arrastão| @tlanti§| Atlântico Azul| Atitude 180| Badamalos| Banda da SMS|  Barcos do Norte | B. dos Navios e do Mar| Blasfémias| Blue Moon I|  Boa Noite, Oh Mestre! | Canoa da Picada|  Carlos Sargedas |  Caminhos da Memória |  Catharsis |  Caxinas... de Lugar a freguesia  | Cetóbriga| Clube Leitura e Escrita| Coelho sem Toca| Cova Gala|  Crónicas de 1 jornalista | De Rerum Natura|  Desporto Saudável | Dias com Árvores| *** Dona Anita ***| Do Portugal Profundo| El mar és el camí| Espaço das Aguncheiras| Estórias de Alhos Vedros|  Estrada do Alicerce | Expresso da Linha|  Filosofia Extravagante | Finisterra| Flaming Nora| Grão de Areia| Gritos Mudos| Homes de Pedra en Barcos de Pau| Imagem e Palavra| Imagens com água| Imenso, para sempre, sem fim| O Insurgente| J. C. Nero| José Luis Espada Feio|  Jumento  Lagoa de Albufeira| Mar Adentro Ventosga| Magra Carta| Marítimo| Mil e uma coisas| Milhas Náuticas| Molino 42| My Littke Pink World| Nas Asas de um Anjo| Navegar é preciso|  Navios à Vista |  Nazaré | Neca| Nitinha| Noites 100 alcool| Nós-Sela| Nubosidade variabel| O Calhandro de Sesimbra|  Orçadela | Página dos Concursos| Pedras no Sapato|  Pedro Mendes | Pelo sonho é que vamos| Pescador| Pexito do Campo|  A Pipoca mais Doce | Ponto de encontro| Portugal dos Pequeninos|  Praia dos Moinhos |  Quartinete | Reflexus| Rui Cunha Photography| Rui Viana Racing| Rumo ao Brasil|  Ruy Ventura | Sandra Carvalho| Sesimbra arqueológica|  Sesimbra Jobs |  Sesimbra Jovem |  Sesimbra, três Freguesias, um Concelho| Se Zimbra|  Simplicidade | Singradura da relinga| Skim Brothers| Sonhar de pés presos à cama|  Tiago Ezequiel |  Tiago Pinhal |  Trans-ferir | Una mirada a la Ria de Vigo|          Varam'ess'aiola |  Ventinhos |


Canoa da Picada