ll

domingo, novembro 09, 2008

Sesimbra
[ clique para ampliar ]
     No antigo caminho que descia de Santana para a Fonte de Carvalho, existia um chafariz com bebedouro, junto ao muro da Casa da Mesquita, muito usado pelos camponeses que desciam à vila com os seus burros, mulas, etç.
     Actualmente a água ainda ali corre, mas toda a zona está coberta com silvas, ervas — e hortelã. Uma simples limpeza poderia transformar este recanto num logradouro bucólico. Não quererão os moradores próximos organizar uma limpeza deste espaço? Aceitam-se sugestões da sua parte.

7 Comentários:

Às 9/11/08 , Anonymous Anónimo disse...

Não tirem a hortelã. É bela, cheirosa e, se calhar, sempre lá esteve.
Maria

 
Às 9/11/08 , Blogger J.A.Aldeia disse...

Sim, a hortelã continuaria por lá, como acontece em muitos outros locais onde corre água de nascente, no concelho de Sesimbra.

O texto que escrevi, com uma sugestão aos moradores, surgiu porque fiquei com a dúvida sobre se quem mora ali próximo se preocupa com esta situação. São pessoas que foram para ali recentemente e que nunca viram aquela estrada em uso. Também pode acontecer, mesmo que seja a Câmara a fazer a limpeza, que ninguém ligue muito. Hoje fala-se muito em uso do espaço público, mas também há uma forte tendência das pessoas se fecharem am casa. Ocorreu-me que, se fossem os moradores a limpar as silvas — não é uma grande quantidade — isso seria sinal de que sentem necessidade do espaço. Mas também pode acontecer que lhes seja indiferente que fique assim.

 
Às 9/11/08 , Anonymous Anónimo disse...

Os moradores? Mas e então os sazonais da CMS? Porque não limpam? O IMI aumentou, a SISA aumentou tudo relacionado com a habitação, desde a água, esgotos e impostos aumentou e ainda os moradores têm de limpar? Desculpe mas não concordo. Sou a 1ª a participar em acções de ajuda a - mas as limpezas de espaços exteriores não as podemos desresponsabilizar de quem de direito - a Câmara. Em + de 1000 funcionários hão-de ter quem o faça.

 
Às 10/11/08 , Anonymous Anónimo disse...

E pior que isso, é que o caminho onde está a fonte, era uma antiga estrada romana que foi alcatroada.

 
Às 10/11/08 , Anonymous Anónimo disse...

Sr. Aldeia:
Tenho alguém chegado que, vive por aí. Vou alertá-lo para o caso da fonte.
Quanto à estrada Romana, é um dos muitos vandalismos feitos neste País. Não haverá forma de a recuperar?
Maria dos Alcatruzes

 
Às 10/11/08 , Blogger J.A.Aldeia disse...

Se fosse verdade que se trata de uma estrada romana, o seu alcatroamento seria uma coisa lamentável. No entanto, nunca em nenhuma investigação ou publicação se afirmou tal coisa. O arqueólogo Manuel Gustavo Marques explorou esta zona nos anos 60 e não identificou nada romano. Tenho também a certeza de que esta antiga estrada nunca foi alcatroada, por isso a afirmação deste anónimo não merece qualquer credibilidade. Na Internet temos sempre de estar atentos à leviandade de certas afirmações.

 
Às 11/11/08 , Anonymous Anónimo disse...

Caro João Aldeia,

Sendo morador da zona, teria muito gosto em participar nessa limpeza. O problema é que os moradores nem se conseguem entender para fazer a gestão do condomínio, quanto mais para se agarrarem a uma enxada e limparem as silvas.

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

Aguarelas de Turner|  O amor pelas coisas belas |  Angola em Fotos  Aldrabas e fechaduras| Amigos da Dorna Meca| Amigos de Peniche| André Benjamim| Ao meu lado| Arrábida| (flora) Arrábida| (notícias) Arrastão| @tlanti§| Atlântico Azul| Atitude 180| Badamalos| Banda da SMS|  Barcos do Norte | B. dos Navios e do Mar| Blasfémias| Blue Moon I|  Boa Noite, Oh Mestre! | Canoa da Picada|  Carlos Sargedas |  Caminhos da Memória |  Catharsis |  Caxinas... de Lugar a freguesia  | Cetóbriga| Clube Leitura e Escrita| Coelho sem Toca| Cova Gala|  Crónicas de 1 jornalista | De Rerum Natura|  Desporto Saudável | Dias com Árvores| *** Dona Anita ***| Do Portugal Profundo| El mar és el camí| Espaço das Aguncheiras| Estórias de Alhos Vedros|  Estrada do Alicerce | Expresso da Linha|  Filosofia Extravagante | Finisterra| Flaming Nora| Grão de Areia| Gritos Mudos| Homes de Pedra en Barcos de Pau| Imagem e Palavra| Imagens com água| Imenso, para sempre, sem fim| O Insurgente| J. C. Nero| José Luis Espada Feio|  Jumento  Lagoa de Albufeira| Mar Adentro Ventosga| Magra Carta| Marítimo| Mil e uma coisas| Milhas Náuticas| Molino 42| My Littke Pink World| Nas Asas de um Anjo| Navegar é preciso|  Navios à Vista |  Nazaré | Neca| Nitinha| Noites 100 alcool| Nós-Sela| Nubosidade variabel| O Calhandro de Sesimbra|  Orçadela | Página dos Concursos| Pedras no Sapato|  Pedro Mendes | Pelo sonho é que vamos| Pescador| Pexito do Campo|  A Pipoca mais Doce | Ponto de encontro| Portugal dos Pequeninos|  Praia dos Moinhos |  Quartinete | Reflexus| Rui Cunha Photography| Rui Viana Racing| Rumo ao Brasil|  Ruy Ventura | Sandra Carvalho| Sesimbra arqueológica|  Sesimbra Jobs |  Sesimbra Jovem |  Sesimbra, três Freguesias, um Concelho| Se Zimbra|  Simplicidade | Singradura da relinga| Skim Brothers| Sonhar de pés presos à cama|  Tiago Ezequiel |  Tiago Pinhal |  Trans-ferir | Una mirada a la Ria de Vigo|          Varam'ess'aiola |  Ventinhos |


Canoa da Picada