ll

quarta-feira, novembro 26, 2008

Sesimbra
[ clique para ampliar ]
Aiolas novas junto à entrada do Parque Recreio Popular (cinema ao ar livre). Construídas com apoios da Casa dos Pescadores, destinavam-se aos pescadores que tinham perdido os seus barcos no ciclone de 1941.'Aiolas': new fishing boats for the fishermen that had lost their boats during the hurricane of 1941.

4 Comentários:

Às 27/11/08 , Anonymous Anónimo disse...

E agora, qual a entidade que apoia a construção de uma aiola para um pescador mais desfavorecido. Alguém sabe dizer?

 
Às 27/11/08 , Anonymous Anónimo disse...

O João não terá fotografias das festa que eram feitas pela Casa dos Pescadores no cinema João Mota para os filhos dos pescadores no Natal? Que saudades.

 
Às 29/11/08 , Anonymous Anónimo disse...

Ó amigo, olhe que ainda o levam a mal. Tem saudades das festas de Natal organizadas pela Casa dos Pescadores para a miudagem de Sesimbra? Acho, sinceramente, que é nobre o seu sentimento. Penso, no entanto, que o seu saudosismo pode ser mal interpretado pelo status instalado e reinante na Sesimbra do pós 25 de Abril. O status que em nome da "LIBERDADE" foi conivente com o desaparecimento da Solidariedade Social, foi conivente com o desaparecimento da pesca e está a ser conivente e bastante interessado no desaparecimento dos pexitos da Vila.
Certamente o irão acusar de saudosista dos tempos da "Miséria". Confundem e baralham sempre tudo.
Tentam passar a ideia que antes estava tudo mal e hoje é tudo perfeito. Claro que, antes estava quase tudo mal. Hoje, algumas pequenas coisas melhorararam mas deveriam ter melhorado muito mais. Hoje, tudo deveria estar muito melhor mas o status instalado não é muito melhor que o status do tempo da "Casa dos Pescadores".

Saudações Pexitas.

 
Às 29/11/08 , Blogger J.A.Aldeia disse...

Não tenho, nem nunca vi, qualquer imagem dessa festa. Esta foto foi tirada do "Jornal do Pescador", da Junta Central das Casas dos Pescadores, que publicou algumas reportagens sobre Sesimbra, das quais espero reproduzir mais fotos.

É verdade que a interpretação do mundo feita pelo comum das pessoas é muito marcada por visões ideológicas que simplificam ao extremo (e empobrecem) a compreensão da História: isso acontece hoje, mas também aconteceu durante o Estado Novo, com a "pequena" diferença de, então, quem exprimisse publicamente uma ideologia diferente podia sofrer não pequenos problemas.

Mas devemos fazer um esforço para ultrapassar isso. A acção da Casa dos Pescadores em Sesimbra teve de facto uma forte componente de Solidariedade Social. Até se deu o caso, que pouca gente sabe, de que muito do financiamento das Casas dos Pescadores vinha essencialmente dos grandes barcos das frotas bacalhoeira e do arrasto. A Segurança Social em Sesimbra foi iniciada e mantida muito tempo pelas Casas dos Pescadores: construção de habitações sociais, apoios médicos diversos, empréstimos para compra de barcos, etc., e isso acabará por ter de ser reconhecido.

Também é verdade que este assunto, em Sesimbra, é dos mais controversos. Compreendo o último comentário, mas se reconhecemos o papel social das Casas dos Pescadores, também temos de reconhecer que o sistema de Segurança Social — descontos dos que trabalham e das empresas para apoio aos que necessitam — não só não desapareceu com se ampliou enormemente desde esse tempo.

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

Aguarelas de Turner|  O amor pelas coisas belas |  Angola em Fotos  Aldrabas e fechaduras| Amigos da Dorna Meca| Amigos de Peniche| André Benjamim| Ao meu lado| Arrábida| (flora) Arrábida| (notícias) Arrastão| @tlanti§| Atlântico Azul| Atitude 180| Badamalos| Banda da SMS|  Barcos do Norte | B. dos Navios e do Mar| Blasfémias| Blue Moon I|  Boa Noite, Oh Mestre! | Canoa da Picada|  Carlos Sargedas |  Caminhos da Memória |  Catharsis |  Caxinas... de Lugar a freguesia  | Cetóbriga| Clube Leitura e Escrita| Coelho sem Toca| Cova Gala|  Crónicas de 1 jornalista | De Rerum Natura|  Desporto Saudável | Dias com Árvores| *** Dona Anita ***| Do Portugal Profundo| El mar és el camí| Espaço das Aguncheiras| Estórias de Alhos Vedros|  Estrada do Alicerce | Expresso da Linha|  Filosofia Extravagante | Finisterra| Flaming Nora| Grão de Areia| Gritos Mudos| Homes de Pedra en Barcos de Pau| Imagem e Palavra| Imagens com água| Imenso, para sempre, sem fim| O Insurgente| J. C. Nero| José Luis Espada Feio|  Jumento  Lagoa de Albufeira| Mar Adentro Ventosga| Magra Carta| Marítimo| Mil e uma coisas| Milhas Náuticas| Molino 42| My Littke Pink World| Nas Asas de um Anjo| Navegar é preciso|  Navios à Vista |  Nazaré | Neca| Nitinha| Noites 100 alcool| Nós-Sela| Nubosidade variabel| O Calhandro de Sesimbra|  Orçadela | Página dos Concursos| Pedras no Sapato|  Pedro Mendes | Pelo sonho é que vamos| Pescador| Pexito do Campo|  A Pipoca mais Doce | Ponto de encontro| Portugal dos Pequeninos|  Praia dos Moinhos |  Quartinete | Reflexus| Rui Cunha Photography| Rui Viana Racing| Rumo ao Brasil|  Ruy Ventura | Sandra Carvalho| Sesimbra arqueológica|  Sesimbra Jobs |  Sesimbra Jovem |  Sesimbra, três Freguesias, um Concelho| Se Zimbra|  Simplicidade | Singradura da relinga| Skim Brothers| Sonhar de pés presos à cama|  Tiago Ezequiel |  Tiago Pinhal |  Trans-ferir | Una mirada a la Ria de Vigo|          Varam'ess'aiola |  Ventinhos |


Canoa da Picada