ll

sexta-feira, junho 13, 2008

Desenho e foto de Constança Lucas
[ Desenho e foto de Constança Lucas → ]
     Viajar? Para viajar basta existir. Vou de dia para dia, como de estação para estação, no combóio do meu corpo, ou do meu destino, debruçado sobre as ruas e praças, sobre os gestos e os rostos, sempre iguais e sempre diferentes, como, afinal, as paisagens são.
     Se imagino, vejo. Que mais faço eu se viajo? Só a fraqueza extrema da imaginação justifica que se tenha que deslocar para sentir.
     «Qualquer estrada, esta mesma estrada de Entepfuhl, te levará até ao fin do mundo.» Mas o fim do mundo, desde que o mundo se consumou dando-lhe a volta, é o mesmo Entepfuhl de onde se partiu. Na realidade, o fim do mundo, como o princípio, é o nosso conceito do mundo. É em nós que as paisagens têm paisagem. Por isso, se as imagino, as crio; se as crio, são; se são, vejo-as como às outras. Para quê viajar? Em Madrid, em Berlim, na Pérsia, na China, nos Pólos ambos, onde estaria eu senão em mim mesmo, e no tipo e género das minhas sensações?
     A vida é o que fazemos dela. As viagens são os viajantes. O que vemos, não é o que vemos, senão o que somos.

Bernardo Soares
Livro do Desassossego, #451

     
     Travel? One need only exist to travel. I go from day to day, as from station to station, in he train of my body or my destiny, leaning out over the street and squares, over the faces and gestures, always equal and always different, just like scenery.
     If I imagine, I see. What more do I do when I travel? Only extreme weakness of the imagination justifies having to travel to feel.
     'Any road, this very road leading out of Entepfuhl, will take us to the end of the world.' But the end of the world, since it was consummated by being circled, is the same Entepfuhl from which we started. The end of the world, like the beginning, is in fact our concept of the world. It's in us that the scenery has scenery. So that if I imagine it. I create it; if I create it, it exists; if it exists, then I see it like any other scenery. So why travel? In Madrid, Berlin, Persia, China, and the two poles, where would I be but in myself, and in my particular type of sensations?
     Life is what we make of it. Travel is the traveller. What we see isn't what we see but what we are.

Bernardo Soares
The Book of Disquietude, #494


Notas: Comemoram-se hoje os 120 anos do nascimento de Fernando Pessoa;
Entepfuhl: citação de uma frase de Carlyle
Notes: We commemorate today the 120th birth anniversary of the poet Fernando Pessoa, who wrote under dozens of names, one of them being Bernardo Soares. Entepfuhl: citation of a sentence by Carlyle.

4 Comentários:

Às 13/6/08 , Blogger Constança Lucas disse...

João

Fernando Pessoa é tão único e tão intenso, por aqui as pessoas t~em um carinho muito especial por ele, mesmo os que não o lêem.

As suas inquietações são partilhadas sempre

abraços
Constança

 
Às 13/6/08 , Blogger Calhandro disse...

O melhor poeta português de todos os tempos a meu ver.

Muito Bom!!!

abraço

 
Às 13/6/08 , Anonymous Anónimo disse...

Novo blog
http://blogsilencioso.blogspot.com/

 
Às 17/6/08 , Blogger Sailor Girl disse...

FABULOSO!!!

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

Aguarelas de Turner|  O amor pelas coisas belas |  Angola em Fotos  Aldrabas e fechaduras| Amigos da Dorna Meca| Amigos de Peniche| André Benjamim| Ao meu lado| Arrábida| (flora) Arrábida| (notícias) Arrastão| @tlanti§| Atlântico Azul| Atitude 180| Badamalos| Banda da SMS|  Barcos do Norte | B. dos Navios e do Mar| Blasfémias| Blue Moon I|  Boa Noite, Oh Mestre! | Canoa da Picada|  Carlos Sargedas |  Caminhos da Memória |  Catharsis |  Caxinas... de Lugar a freguesia  | Cetóbriga| Clube Leitura e Escrita| Coelho sem Toca| Cova Gala|  Crónicas de 1 jornalista | De Rerum Natura|  Desporto Saudável | Dias com Árvores| *** Dona Anita ***| Do Portugal Profundo| El mar és el camí| Espaço das Aguncheiras| Estórias de Alhos Vedros|  Estrada do Alicerce | Expresso da Linha|  Filosofia Extravagante | Finisterra| Flaming Nora| Grão de Areia| Gritos Mudos| Homes de Pedra en Barcos de Pau| Imagem e Palavra| Imagens com água| Imenso, para sempre, sem fim| O Insurgente| J. C. Nero| José Luis Espada Feio|  Jumento  Lagoa de Albufeira| Mar Adentro Ventosga| Magra Carta| Marítimo| Mil e uma coisas| Milhas Náuticas| Molino 42| My Littke Pink World| Nas Asas de um Anjo| Navegar é preciso|  Navios à Vista |  Nazaré | Neca| Nitinha| Noites 100 alcool| Nós-Sela| Nubosidade variabel| O Calhandro de Sesimbra|  Orçadela | Página dos Concursos| Pedras no Sapato|  Pedro Mendes | Pelo sonho é que vamos| Pescador| Pexito do Campo|  A Pipoca mais Doce | Ponto de encontro| Portugal dos Pequeninos|  Praia dos Moinhos |  Quartinete | Reflexus| Rui Cunha Photography| Rui Viana Racing| Rumo ao Brasil|  Ruy Ventura | Sandra Carvalho| Sesimbra arqueológica|  Sesimbra Jobs |  Sesimbra Jovem |  Sesimbra, três Freguesias, um Concelho| Se Zimbra|  Simplicidade | Singradura da relinga| Skim Brothers| Sonhar de pés presos à cama|  Tiago Ezequiel |  Tiago Pinhal |  Trans-ferir | Una mirada a la Ria de Vigo|          Varam'ess'aiola |  Ventinhos |


Canoa da Picada