ll

terça-feira, abril 15, 2008

fotografia alojada em www.flickr.com
[ clique para ampliar ]
Vila e porto de Sesimbra.Sesimbra: town and harbour.

14 Comentários:

Às 15/4/08 , Anonymous Anónimo disse...

'o campo' é da alfarrobeira para cima, soces!!!

E a esta hora ja a gaivota caga da boia!!!



SER PEXITE É...

1) trocar o fim das palavras acabadas em "o" por "e" ("sogre", "filhe", "mercade", "lence de papel", "lixe", "campe", 'pexite', etc.)

2) tratar toda a gente por "balhão", "soce" e "pariga"

3) começar todas as frases com "epá" e acabar com "estatão"

4) não saber que existe o sufixo 'lhe', e quando é preciso usá-lo dizer coisas como 'diz a ele', 'dá a ela', 'fiz a eles'

5) estar sempre bêbado

6) andar à porrada com pessoal de fora no Carnaval e acabar as noites no Ginásio

7) passear na marginal (do Caneiro à Doca e da Doca ao Caneiro)

8) Cool é ir à 6ª para a Bolina e ao sábado para o Meco

9) dizer coisas como "epá balhão, pa córas é qué o avise?", e cuja tradução é "A que horas é que é para ir para o mar", ou "Vames pá rabessa", que não é nada mais que "vamos para o Sol"!

10) estudar na Escola Secundária de Sampaio

11) saber que as pessoas de Setúbal são conhecidas como 'cagaleites'

12) gozar com os "campeneses" (é considerado "campenês" todo aquele que morar depois de Santana – Santana incluída)

13) saber que Alfarim é uma cidade independente e que comemora o Natal no dia 26 de Dezembro

14) vestir roupa nova na Festa das Chagas

15) saber a vida de toda a gente

 
Às 15/4/08 , Anonymous Anónimo disse...

É uma pena o senhor não se identificar, gostaríamos, todos, de conhecer o "sábio" que estudou a forma como os pexitos se exprimem.
Realmente, este comentário nem merece resposta porque é grosseiro e se o caro anónimo vê os sesimbrenses desta maneira, não passa de um ignorante.
A forma de cada região se exprimir identifica-a.
Madeirenses, açoreanos, alentejanos etc, têm uma maneira própria de se exprimirem, essa diversidade mostra a riqueza da nossa língua. Tenho imensa pena que um português se preste a este papel.

Eu

 
Às 16/4/08 , Anonymous Anónimo disse...

Epá, "soce", eu achei muita piada!

 
Às 16/4/08 , Blogger J.A.Aldeia disse...

É apenas alguém que está convencido de que tem muita piada. Para quê desiludi-lo? Deixem-no estar.

 
Às 16/4/08 , Blogger Pollux disse...

Sinceramente, eu próprio já recebi várias vezes esse mail que por aí anda a circular, inclusivamente assinado pela autora, contudo também não achei muita piada, confesso.
Particularmente os pontos 5 e 6.

Mas isto é apenas a minha opinião, que não me fiquei pela Escola Secundária de Sampaio...

 
Às 16/4/08 , Blogger Swt disse...

Interessante... os comentários.
A fotografia dá uma ideia de serenidade.

 
Às 16/4/08 , Blogger Constança Lucas disse...

gostei da fotografia, mesmo não identificando muito a localização

parabéns pela foto

 
Às 16/4/08 , Blogger J.A.Aldeia disse...

Constança: o largo com árvores no canto inferior esquerdo é onde se realizava (e realiza) a praça ao ar livre; um pouco adiante vê-se o edifício da Câmara, com a bandeira hasteada. A árvore que está à direita da imagem é a araucária do velho jardim. O edifício que se vê por trás da araucária é a antiga escola Conde Ferreira, onde creio que a Constança andou. A palmeira que sobressai sobre o mar, encontra-se no interior da Fortaleza

 
Às 16/4/08 , Anonymous Anónimo disse...

Que pena aquele porto tão feio.

 
Às 16/4/08 , Anonymous Anónimo disse...

ora bem eu sou "pexito" e orgulho-me muito!!!!
p. s. não acabo as noites no ginásio nem ando sempre bêbado

 
Às 16/4/08 , Blogger Constança Lucas disse...

obrigada João

consegui ver e lembrar-me

o que me confundiu foi a construção circular, em frente á praça ao livre, não me lembro nada dela assim

abraços

 
Às 16/4/08 , Anonymous joo disse...

acho que o comentario sobre 'ser pexite é' pode sim ter um lado grosseiro mas para mim nao passa de uma brincadeira. nao é para levar a mal...os pexitos nao sao assim! os pontos 5,6 sao os mais desnecessarios, mesmo despensaveis, na minha opiniao. o ponto dez...é normal estudar na escola secundaria de sampaio, podemos ficar por ali ou nao...e o ponto 15.. as pessoas de sesimbra nao sao as unicas a fazelo e nem todos eles o fazem.
peço desculpa de estar a remeçer neste assunto mas nao passa de o exprimir de uma opiniao! sei que este blog nao é o local mais indicado mas penso que nao tem mal...

 
Às 10/5/08 , Anonymous AF disse...

Esse texto é uma sátira e já é bem antigo (nem Ginásio já temos no Carnaval). O seu título na verdade é “O Mode de Ser Pexito” e foi escrito numa aula de Cultura Portuguesa na Universidade, no dia em que se estudava “O Modo de ser Português”.

Não sei quem o encontrou (foi publicado num blog em 2004!!!) e pôs a circular, nem se alguém anda a assinar por ele, mas não pretende de todo ser um texto ofensivo. Sou pexita nascida e criada e não me revejo nele, por isso não se ofendam.

 
Às 11/5/08 , Blogger J.A.Aldeia disse...

Agradeço a explicação. É evidente que o contexto explica a superficialidade da sátira, reflectindo o ainda limitado universo cultural de um estudante. Mas agora está feito e há-de circular e ficar, porque é com recurso aos ficheiros virtuais da net que, cada vez mais, se processará a propagação do conhecimento colectivo.

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

Aguarelas de Turner|  O amor pelas coisas belas |  Angola em Fotos  Aldrabas e fechaduras| Amigos da Dorna Meca| Amigos de Peniche| André Benjamim| Ao meu lado| Arrábida| (flora) Arrábida| (notícias) Arrastão| @tlanti§| Atlântico Azul| Atitude 180| Badamalos| Banda da SMS|  Barcos do Norte | B. dos Navios e do Mar| Blasfémias| Blue Moon I|  Boa Noite, Oh Mestre! | Canoa da Picada|  Carlos Sargedas |  Caminhos da Memória |  Catharsis |  Caxinas... de Lugar a freguesia  | Cetóbriga| Clube Leitura e Escrita| Coelho sem Toca| Cova Gala|  Crónicas de 1 jornalista | De Rerum Natura|  Desporto Saudável | Dias com Árvores| *** Dona Anita ***| Do Portugal Profundo| El mar és el camí| Espaço das Aguncheiras| Estórias de Alhos Vedros|  Estrada do Alicerce | Expresso da Linha|  Filosofia Extravagante | Finisterra| Flaming Nora| Grão de Areia| Gritos Mudos| Homes de Pedra en Barcos de Pau| Imagem e Palavra| Imagens com água| Imenso, para sempre, sem fim| O Insurgente| J. C. Nero| José Luis Espada Feio|  Jumento  Lagoa de Albufeira| Mar Adentro Ventosga| Magra Carta| Marítimo| Mil e uma coisas| Milhas Náuticas| Molino 42| My Littke Pink World| Nas Asas de um Anjo| Navegar é preciso|  Navios à Vista |  Nazaré | Neca| Nitinha| Noites 100 alcool| Nós-Sela| Nubosidade variabel| O Calhandro de Sesimbra|  Orçadela | Página dos Concursos| Pedras no Sapato|  Pedro Mendes | Pelo sonho é que vamos| Pescador| Pexito do Campo|  A Pipoca mais Doce | Ponto de encontro| Portugal dos Pequeninos|  Praia dos Moinhos |  Quartinete | Reflexus| Rui Cunha Photography| Rui Viana Racing| Rumo ao Brasil|  Ruy Ventura | Sandra Carvalho| Sesimbra arqueológica|  Sesimbra Jobs |  Sesimbra Jovem |  Sesimbra, três Freguesias, um Concelho| Se Zimbra|  Simplicidade | Singradura da relinga| Skim Brothers| Sonhar de pés presos à cama|  Tiago Ezequiel |  Tiago Pinhal |  Trans-ferir | Una mirada a la Ria de Vigo|          Varam'ess'aiola |  Ventinhos |


Canoa da Picada