ll

terça-feira, janeiro 15, 2008


          Rafael Monteiro

     O cantor e autor Caetano Veloso já tinha feito referência, num seu livro de 1997 — "Verdade Tropical" — a uma visita que fizera a Rafael Monteiro, no castelo de Sesimbra, e da impressão que lhe causara esse encontro. O mesmo acontecimento ressurge no seu livro "O Mundo Não é Chato", colectânea de artigos de várias décadas. A referência a Rafael Monteiro está incluída no texto de uma conferência realizada em 1993 no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. Caetano Veloso questiona qual o papel que o Brasil poderá ter no mundo, ou seja, para transformar o mundo num lugar melhor, e recorda Fernando Pessoa e Agostinho da Silva, a propósito do papel civilizador que estes pensadores reservavam para a língua portuguesa, para os povos de língua portuguesa. E a referência a Rafael Monteiro surge nesta mesma linha de pensamento.
     Contudo, melhor do que eu poderia alguma vez fazer, o Pedro Martins contextualiza as palavras de Caetano Veloso num texto do blogue Maranos, cuja leitura aconselho.
     Ao contrário do que se poderia pensar, o legado de Rafael Monteiro não se resume à "explicação" que ele fez de Sesimbra, a qual muitos repetem (até porque ninguém foi capaz de propôr outra), sem se aperceberem de que a ele a devem. Rafael Monteiro, tal como muitos dos seus amigos filósofos — Agostinho da Silva, António Telmo, Orlando Vitorino — tiveram a clara percepção do beco-sem-saída para onde nos conduzia a modernidade racionalista. Isso levou-os a travar uma luta desigual contra a tendência dominante da sociedade portuguesa, apostada primeiro em destruir o regime salazarista em troca de um modelo de sociedade colectivista, e depois, mais recentemente, submetendo-o ao programa de modernização tecnológica e produtivista proposto pela Europa tecnocrática, ainda que à custa dos valores fundamentais que nos definem como portugueses — ou seja, ainda que à custa da destruição de Portugal.
     Caetano Veloso, no seu texto, exprime, relativamente ao Brasil, exactamente a mesma questão que Rafael Monteiro se colocava a propósito de Portugal: como pode evitar ser engolido pela civilização tecnológica dominante? O facto de Caetano evocar Rafael a esse propósito, é algo que diz muito acerca do grande valor deste sesimbrense. E é importante. Não por Caetano ser um brasileiro famoso, que esteve de passagem no castelo de Sesimbra, a caminho de Londres, exilado pela ditadura militar brasileira, e ter sido acolhido cordialmente pelo "velho alquimista". Mas porque a pergunta persiste. E a pergunta é para nós.

1 Comentários:

Às 15/1/08 , Blogger Templo do Giraldo disse...

http://templodogiraldo.blogspot.com/


Passem por aqui e comentem. Saudações

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

Aguarelas de Turner|  O amor pelas coisas belas |  Angola em Fotos  Aldrabas e fechaduras| Amigos da Dorna Meca| Amigos de Peniche| André Benjamim| Ao meu lado| Arrábida| (flora) Arrábida| (notícias) Arrastão| @tlanti§| Atlântico Azul| Atitude 180| Badamalos| Banda da SMS|  Barcos do Norte | B. dos Navios e do Mar| Blasfémias| Blue Moon I|  Boa Noite, Oh Mestre! | Canoa da Picada|  Carlos Sargedas |  Caminhos da Memória |  Catharsis |  Caxinas... de Lugar a freguesia  | Cetóbriga| Clube Leitura e Escrita| Coelho sem Toca| Cova Gala|  Crónicas de 1 jornalista | De Rerum Natura|  Desporto Saudável | Dias com Árvores| *** Dona Anita ***| Do Portugal Profundo| El mar és el camí| Espaço das Aguncheiras| Estórias de Alhos Vedros|  Estrada do Alicerce | Expresso da Linha|  Filosofia Extravagante | Finisterra| Flaming Nora| Grão de Areia| Gritos Mudos| Homes de Pedra en Barcos de Pau| Imagem e Palavra| Imagens com água| Imenso, para sempre, sem fim| O Insurgente| J. C. Nero| José Luis Espada Feio|  Jumento  Lagoa de Albufeira| Mar Adentro Ventosga| Magra Carta| Marítimo| Mil e uma coisas| Milhas Náuticas| Molino 42| My Littke Pink World| Nas Asas de um Anjo| Navegar é preciso|  Navios à Vista |  Nazaré | Neca| Nitinha| Noites 100 alcool| Nós-Sela| Nubosidade variabel| O Calhandro de Sesimbra|  Orçadela | Página dos Concursos| Pedras no Sapato|  Pedro Mendes | Pelo sonho é que vamos| Pescador| Pexito do Campo|  A Pipoca mais Doce | Ponto de encontro| Portugal dos Pequeninos|  Praia dos Moinhos |  Quartinete | Reflexus| Rui Cunha Photography| Rui Viana Racing| Rumo ao Brasil|  Ruy Ventura | Sandra Carvalho| Sesimbra arqueológica|  Sesimbra Jobs |  Sesimbra Jovem |  Sesimbra, três Freguesias, um Concelho| Se Zimbra|  Simplicidade | Singradura da relinga| Skim Brothers| Sonhar de pés presos à cama|  Tiago Ezequiel |  Tiago Pinhal |  Trans-ferir | Una mirada a la Ria de Vigo|          Varam'ess'aiola |  Ventinhos |


Canoa da Picada