ll

quarta-feira, janeiro 16, 2008

fotografia alojada em www.flickr.com
[ blog©Sesimbra - clique para ampliar ]
Marginal poente de Sesimbra, algures entre o final dos anos 60 e início dos 70. Note-se a extraordinária ausência de areia, provocada por um forte vendaval, que deixou rochas à vista, bem como uma correnteza de sapatas e saídas de esgoto. As sapatas ainda existem, mas apenas com rampas paralelas à muralha.Seaside of Sesimbra, with a frightening view of the beach... without sand! The cyclical withdraw of sand is expected in Winter, but in that year (in late 60s/early 70s) a heavy storm took it all!

6 Comentários:

Às 16/1/08 , Anonymous Anónimo disse...

A serra-mãe protege-nos do vento Norte, mas ficamos completamente à mercê dos vendavais quando o vento sopra de sudeste. Esventra a praia e mostra-nos as entranhas. Ah! mas o mar depressa repõe a areia e a paisagem volta a ser-nos familiar.

 
Às 16/1/08 , Anonymous Anónimo disse...

Já viram bem o que seria de Sesimbra, se esta foto correpondesse hoje á realidade?

 
Às 16/1/08 , Anonymous eco-lojista disse...

Se fosse hoje, diziam logo que era uma consequência do degelo da camada do buraco das calotes do ozono da estufa das águas do nível do mar. E era! Ou passava a ser!

 
Às 17/1/08 , Anonymous Anónimo disse...

Intacto, intacto mantem-se o prédio do Lino da Sardinha Assada. Até quando?

 
Às 17/1/08 , Anonymous Anónimo disse...

Ai que saudades... mesmo com menos areia na praia, a vila era mais bonita do que actualmente.

 
Às 21/1/08 , Anonymous Anónimo disse...

noto tanto a diferença de essa foto para aquilo que é hoje. principalmente na praia...nao deixa de ser a linda sesimbra nem ontem nem hoje nem nunca!

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

Aguarelas de Turner|  O amor pelas coisas belas |  Angola em Fotos  Aldrabas e fechaduras| Amigos da Dorna Meca| Amigos de Peniche| André Benjamim| Ao meu lado| Arrábida| (flora) Arrábida| (notícias) Arrastão| @tlanti§| Atlântico Azul| Atitude 180| Badamalos| Banda da SMS|  Barcos do Norte | B. dos Navios e do Mar| Blasfémias| Blue Moon I|  Boa Noite, Oh Mestre! | Canoa da Picada|  Carlos Sargedas |  Caminhos da Memória |  Catharsis |  Caxinas... de Lugar a freguesia  | Cetóbriga| Clube Leitura e Escrita| Coelho sem Toca| Cova Gala|  Crónicas de 1 jornalista | De Rerum Natura|  Desporto Saudável | Dias com Árvores| *** Dona Anita ***| Do Portugal Profundo| El mar és el camí| Espaço das Aguncheiras| Estórias de Alhos Vedros|  Estrada do Alicerce | Expresso da Linha|  Filosofia Extravagante | Finisterra| Flaming Nora| Grão de Areia| Gritos Mudos| Homes de Pedra en Barcos de Pau| Imagem e Palavra| Imagens com água| Imenso, para sempre, sem fim| O Insurgente| J. C. Nero| José Luis Espada Feio|  Jumento  Lagoa de Albufeira| Mar Adentro Ventosga| Magra Carta| Marítimo| Mil e uma coisas| Milhas Náuticas| Molino 42| My Littke Pink World| Nas Asas de um Anjo| Navegar é preciso|  Navios à Vista |  Nazaré | Neca| Nitinha| Noites 100 alcool| Nós-Sela| Nubosidade variabel| O Calhandro de Sesimbra|  Orçadela | Página dos Concursos| Pedras no Sapato|  Pedro Mendes | Pelo sonho é que vamos| Pescador| Pexito do Campo|  A Pipoca mais Doce | Ponto de encontro| Portugal dos Pequeninos|  Praia dos Moinhos |  Quartinete | Reflexus| Rui Cunha Photography| Rui Viana Racing| Rumo ao Brasil|  Ruy Ventura | Sandra Carvalho| Sesimbra arqueológica|  Sesimbra Jobs |  Sesimbra Jovem |  Sesimbra, três Freguesias, um Concelho| Se Zimbra|  Simplicidade | Singradura da relinga| Skim Brothers| Sonhar de pés presos à cama|  Tiago Ezequiel |  Tiago Pinhal |  Trans-ferir | Una mirada a la Ria de Vigo|          Varam'ess'aiola |  Ventinhos |


Canoa da Picada