ll

quinta-feira, janeiro 31, 2008

fotografia alojada em www.flickr.com
[ blog©Sesimbra - clique para ampliar ]
Largo de Bombaldes, após o ciclone de 15 de Fevereiro de 1941. Nessa altura não existia um porto de abrigo que protegesse a frota de pesca do mau tempo, pelo que os barcos eram varados nos largos e ruas da beira-mar. Mas a violência deste ciclone destruiu mesmo os barcos colocados em terra, como se pode ver nesta fotografia, dando razão a um dito sesimbrense: "Quem vara, morre!"
Compare-se com a praça na actualidade, em obras.
Bombaldes square in the aftermath of the cyclone of February 15, 1941. At that time Sesimbra didn't have a harbour for protection of the fishing fleet, so the boats were taken in town during bad weather. But this time it was not enough and many boats were destroyed.

Compare with the same place today (under works, photo below.)
fotografia alojada em www.flickr.com

2 Comentários:

Às 31/1/08 , Anonymous Anónimo disse...

Ainda não era nascida quando aconteceu este ciclone, mas lembro-me do que a minha mão contou acerca dele.
Ela era pequena, tinha perto de 10 anos, chegou ao muro da praia, em frente a Bombaldes e viu uma onda crescer muito, tornar-se enorme, cheia de medo fugiu para casa da avó, um primeiro andar, na R. Joaquim Brandão, a Rua ficou inundada e não puderam sair.
Contou-me também que foi nesse dia que o marido da Custódia Roseira, perdeu a perna ao tentar salvar o barco do pai.

 
Às 1/2/08 , Anonymous Anónimo disse...

Onde estão as ditas muralhas?

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

Aguarelas de Turner|  O amor pelas coisas belas |  Angola em Fotos  Aldrabas e fechaduras| Amigos da Dorna Meca| Amigos de Peniche| André Benjamim| Ao meu lado| Arrábida| (flora) Arrábida| (notícias) Arrastão| @tlanti§| Atlântico Azul| Atitude 180| Badamalos| Banda da SMS|  Barcos do Norte | B. dos Navios e do Mar| Blasfémias| Blue Moon I|  Boa Noite, Oh Mestre! | Canoa da Picada|  Carlos Sargedas |  Caminhos da Memória |  Catharsis |  Caxinas... de Lugar a freguesia  | Cetóbriga| Clube Leitura e Escrita| Coelho sem Toca| Cova Gala|  Crónicas de 1 jornalista | De Rerum Natura|  Desporto Saudável | Dias com Árvores| *** Dona Anita ***| Do Portugal Profundo| El mar és el camí| Espaço das Aguncheiras| Estórias de Alhos Vedros|  Estrada do Alicerce | Expresso da Linha|  Filosofia Extravagante | Finisterra| Flaming Nora| Grão de Areia| Gritos Mudos| Homes de Pedra en Barcos de Pau| Imagem e Palavra| Imagens com água| Imenso, para sempre, sem fim| O Insurgente| J. C. Nero| José Luis Espada Feio|  Jumento  Lagoa de Albufeira| Mar Adentro Ventosga| Magra Carta| Marítimo| Mil e uma coisas| Milhas Náuticas| Molino 42| My Littke Pink World| Nas Asas de um Anjo| Navegar é preciso|  Navios à Vista |  Nazaré | Neca| Nitinha| Noites 100 alcool| Nós-Sela| Nubosidade variabel| O Calhandro de Sesimbra|  Orçadela | Página dos Concursos| Pedras no Sapato|  Pedro Mendes | Pelo sonho é que vamos| Pescador| Pexito do Campo|  A Pipoca mais Doce | Ponto de encontro| Portugal dos Pequeninos|  Praia dos Moinhos |  Quartinete | Reflexus| Rui Cunha Photography| Rui Viana Racing| Rumo ao Brasil|  Ruy Ventura | Sandra Carvalho| Sesimbra arqueológica|  Sesimbra Jobs |  Sesimbra Jovem |  Sesimbra, três Freguesias, um Concelho| Se Zimbra|  Simplicidade | Singradura da relinga| Skim Brothers| Sonhar de pés presos à cama|  Tiago Ezequiel |  Tiago Pinhal |  Trans-ferir | Una mirada a la Ria de Vigo|          Varam'ess'aiola |  Ventinhos |


Canoa da Picada