ll

quinta-feira, novembro 08, 2007

fotografia alojada em www.flickr.com
[ blog©Sesimbra - clique para ampliar ]
Deslize de terras na encosta de Sesimbra, próximo da Fonte de Carvalho. As crateras das antigas pedreiras de gesso assinalam o engenho humano, mas tais vestígios acabarão por ser apagados pelas forças naturais.      Landslide on the cliffs surrounding Sesimbra. At the base, the craters from old gypsum mines mark the human ingenuity, but soon the natural forces will erase them. In the distance, the magnificent Arrabida mountain..

2 Comentários:

Às 13/11/07 , Anonymous Anónimo disse...

Este deslize de terras existe há vários anos ... talvez 10? Julgo que a cicatriz que melhor se vê terá sido criada num dos últimos anos muito chuvosos que ocorreu após um longo período mais seco (muito nates da seca de 2005). É normal isso acontecer assim: durante a seca, os terrenos perdem muita água e os espaços vazios no solo (poros, fracturas, etc.) abrem bastante originando alguma perda de coesão; seguindo-se chuva intensa, não só o peso da água mas, também, a circulação da água no interior dos terrenos, ainda para mais quando ele tem importante componente argilosa, provocam quedas de blocos e deslizamento de terrenos, por vezes perigosos. No entanto, a situação fotografada não parece acarretar grande risco, uma vez que o patamar da antiga exploração deverá travar o movimento dos terrenos. Já agora, a exploração não é de gesso, mas sim de calcário/dolomito(?). A gesseira está localizada antes de se chegar a esse local.

 
Às 13/11/07 , Blogger J.A. disse...

Obrigado pelo comentário, muito interessante.

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

Aguarelas de Turner|  O amor pelas coisas belas |  Angola em Fotos  Aldrabas e fechaduras| Amigos da Dorna Meca| Amigos de Peniche| André Benjamim| Ao meu lado| Arrábida| (flora) Arrábida| (notícias) Arrastão| @tlanti§| Atlântico Azul| Atitude 180| Badamalos| Banda da SMS|  Barcos do Norte | B. dos Navios e do Mar| Blasfémias| Blue Moon I|  Boa Noite, Oh Mestre! | Canoa da Picada|  Carlos Sargedas |  Caminhos da Memória |  Catharsis |  Caxinas... de Lugar a freguesia  | Cetóbriga| Clube Leitura e Escrita| Coelho sem Toca| Cova Gala|  Crónicas de 1 jornalista | De Rerum Natura|  Desporto Saudável | Dias com Árvores| *** Dona Anita ***| Do Portugal Profundo| El mar és el camí| Espaço das Aguncheiras| Estórias de Alhos Vedros|  Estrada do Alicerce | Expresso da Linha|  Filosofia Extravagante | Finisterra| Flaming Nora| Grão de Areia| Gritos Mudos| Homes de Pedra en Barcos de Pau| Imagem e Palavra| Imagens com água| Imenso, para sempre, sem fim| O Insurgente| J. C. Nero| José Luis Espada Feio|  Jumento  Lagoa de Albufeira| Mar Adentro Ventosga| Magra Carta| Marítimo| Mil e uma coisas| Milhas Náuticas| Molino 42| My Littke Pink World| Nas Asas de um Anjo| Navegar é preciso|  Navios à Vista |  Nazaré | Neca| Nitinha| Noites 100 alcool| Nós-Sela| Nubosidade variabel| O Calhandro de Sesimbra|  Orçadela | Página dos Concursos| Pedras no Sapato|  Pedro Mendes | Pelo sonho é que vamos| Pescador| Pexito do Campo|  A Pipoca mais Doce | Ponto de encontro| Portugal dos Pequeninos|  Praia dos Moinhos |  Quartinete | Reflexus| Rui Cunha Photography| Rui Viana Racing| Rumo ao Brasil|  Ruy Ventura | Sandra Carvalho| Sesimbra arqueológica|  Sesimbra Jobs |  Sesimbra Jovem |  Sesimbra, três Freguesias, um Concelho| Se Zimbra|  Simplicidade | Singradura da relinga| Skim Brothers| Sonhar de pés presos à cama|  Tiago Ezequiel |  Tiago Pinhal |  Trans-ferir | Una mirada a la Ria de Vigo|          Varam'ess'aiola |  Ventinhos |


Canoa da Picada