ll

sábado, outubro 06, 2007

fotografia alojada em www.flickr.com
[ blog©Sesimbra - clique para ampliar ]
Praça, Sesimbra.

Por causa do vermelho e verde ocorreu-me que esta fotografia, tirada hoje, poderia servir para assinalar os 97 anos da República. Os feijões, pimentos, pepinos e abóbora também se parecem oferecer como metáforas. E não é verdade que continuamos vergados sob o peso das necessidades materiais?

4 Comentários:

Às 6/10/07 , Blogger escriba disse...

Verdade seja dita, o reino vegetal não oferece grande suporte à anterior bandeira, azul e branca, que, em minha opinião, tinha maior beleza do que a adoptada pela República. Talvez só os nabos, na sua alvura debruada de roxo pálido, se aproximem do estandarte monárquico. Provável nabice foi não se haver seguido a sugestão de Junqueiro: manter a anterior bandeira, tirando-lhe apenas a coroa.

 
Às 6/10/07 , Blogger J.A. disse...

Talvez Portugal deva a sua existência e sigularidade ao mar e seus ofícios, e não à terra e à agricultura.

 
Às 7/10/07 , Blogger escriba disse...

É curioso notar que, segundo António Quadros, a civilização megalítica da faixa ocidental da Península Ibérica é bastante superior à da meseta, a que os arqueólogos chama "cultura de las cuevas". Mas a este factor de diferenciação acresce um outro: nesse período, o povo da faixa ocidental seria, conjecturalmente, um povo de navegadores, se admitirmos a hipótese de que o megalitismo peninsular irradiou, depois, para as ilhas britânicas e para Oriente, via Mediterrâneo.
Se for assim - e António Quadros apresenta fortes argumentos - isto explica muita coisa.

 
Às 14/10/07 , Anonymous maroto disse...

Com alguma, mas leve, brejeirice, a imagem do senhor curvado faz lembrar a anedota dos tomates de chumbo...

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

Aguarelas de Turner|  O amor pelas coisas belas |  Angola em Fotos  Aldrabas e fechaduras| Amigos da Dorna Meca| Amigos de Peniche| André Benjamim| Ao meu lado| Arrábida| (flora) Arrábida| (notícias) Arrastão| @tlanti§| Atlântico Azul| Atitude 180| Badamalos| Banda da SMS|  Barcos do Norte | B. dos Navios e do Mar| Blasfémias| Blue Moon I|  Boa Noite, Oh Mestre! | Canoa da Picada|  Carlos Sargedas |  Caminhos da Memória |  Catharsis |  Caxinas... de Lugar a freguesia  | Cetóbriga| Clube Leitura e Escrita| Coelho sem Toca| Cova Gala|  Crónicas de 1 jornalista | De Rerum Natura|  Desporto Saudável | Dias com Árvores| *** Dona Anita ***| Do Portugal Profundo| El mar és el camí| Espaço das Aguncheiras| Estórias de Alhos Vedros|  Estrada do Alicerce | Expresso da Linha|  Filosofia Extravagante | Finisterra| Flaming Nora| Grão de Areia| Gritos Mudos| Homes de Pedra en Barcos de Pau| Imagem e Palavra| Imagens com água| Imenso, para sempre, sem fim| O Insurgente| J. C. Nero| José Luis Espada Feio|  Jumento  Lagoa de Albufeira| Mar Adentro Ventosga| Magra Carta| Marítimo| Mil e uma coisas| Milhas Náuticas| Molino 42| My Littke Pink World| Nas Asas de um Anjo| Navegar é preciso|  Navios à Vista |  Nazaré | Neca| Nitinha| Noites 100 alcool| Nós-Sela| Nubosidade variabel| O Calhandro de Sesimbra|  Orçadela | Página dos Concursos| Pedras no Sapato|  Pedro Mendes | Pelo sonho é que vamos| Pescador| Pexito do Campo|  A Pipoca mais Doce | Ponto de encontro| Portugal dos Pequeninos|  Praia dos Moinhos |  Quartinete | Reflexus| Rui Cunha Photography| Rui Viana Racing| Rumo ao Brasil|  Ruy Ventura | Sandra Carvalho| Sesimbra arqueológica|  Sesimbra Jobs |  Sesimbra Jovem |  Sesimbra, três Freguesias, um Concelho| Se Zimbra|  Simplicidade | Singradura da relinga| Skim Brothers| Sonhar de pés presos à cama|  Tiago Ezequiel |  Tiago Pinhal |  Trans-ferir | Una mirada a la Ria de Vigo|          Varam'ess'aiola |  Ventinhos |


Canoa da Picada