ll

domingo, setembro 30, 2007

Grandes filmes: My Fair Lady

     Coube a Audrey Hepburn o desempenho do papel de Eliza Doolittle no filme "My Fair Lady", de 1964. Não sendo cantora, a voz de Hepburn foi "dobrada" pela soprano Marni Nixon. No entanto, nesta cena, que nunca chegou a ser usada no filme, é a própria Audrey Hepburn quem canta "Wouldn't It Be Lovely?", a canção introdutória em que usa o sotaque carregado das classes pobres de Londres (cockney). Junto a um mercado londrino, a vendedora de flores sonha com um quarto algures, espaçoso, muito quentinho e com muitos chocolates; os companheiros aproveitam para fazer uma pantomima, tratando-a como uma senhora da aristocracia.
     Já com a voz de Marni Nixon temos os videos de "The Rain in Spain" (onde Eliza já domina o linguajar aristocrático), "Just You Wait" (onde amaldiçoa o professor Higgins) e da valsa apaixonada "I Could Have Danced All Night".
     Esta mesma peça fora estreada anos antes (1956), com grande sucesso, nos palcos da Broadway, com o papel de Eliza Doolitle entregue a Julie Andrews — que podemos ver aqui interpretando a mesma canção, "Wouldn't It Be Lovely?". Qual delas é a melhor? Questão impossível de responder: Julie Andrews tem uma voz belíssima, mas não se trata aqui de um concurso de canto e sim de um filme. A voz mais quente e hesitante de Audrey Hepburn dá à personagem uma autenticidade tão genuína como a da interpretação de Julie Andrews.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

Aguarelas de Turner|  O amor pelas coisas belas |  Angola em Fotos  Aldrabas e fechaduras| Amigos da Dorna Meca| Amigos de Peniche| André Benjamim| Ao meu lado| Arrábida| (flora) Arrábida| (notícias) Arrastão| @tlanti§| Atlântico Azul| Atitude 180| Badamalos| Banda da SMS|  Barcos do Norte | B. dos Navios e do Mar| Blasfémias| Blue Moon I|  Boa Noite, Oh Mestre! | Canoa da Picada|  Carlos Sargedas |  Caminhos da Memória |  Catharsis |  Caxinas... de Lugar a freguesia  | Cetóbriga| Clube Leitura e Escrita| Coelho sem Toca| Cova Gala|  Crónicas de 1 jornalista | De Rerum Natura|  Desporto Saudável | Dias com Árvores| *** Dona Anita ***| Do Portugal Profundo| El mar és el camí| Espaço das Aguncheiras| Estórias de Alhos Vedros|  Estrada do Alicerce | Expresso da Linha|  Filosofia Extravagante | Finisterra| Flaming Nora| Grão de Areia| Gritos Mudos| Homes de Pedra en Barcos de Pau| Imagem e Palavra| Imagens com água| Imenso, para sempre, sem fim| O Insurgente| J. C. Nero| José Luis Espada Feio|  Jumento  Lagoa de Albufeira| Mar Adentro Ventosga| Magra Carta| Marítimo| Mil e uma coisas| Milhas Náuticas| Molino 42| My Littke Pink World| Nas Asas de um Anjo| Navegar é preciso|  Navios à Vista |  Nazaré | Neca| Nitinha| Noites 100 alcool| Nós-Sela| Nubosidade variabel| O Calhandro de Sesimbra|  Orçadela | Página dos Concursos| Pedras no Sapato|  Pedro Mendes | Pelo sonho é que vamos| Pescador| Pexito do Campo|  A Pipoca mais Doce | Ponto de encontro| Portugal dos Pequeninos|  Praia dos Moinhos |  Quartinete | Reflexus| Rui Cunha Photography| Rui Viana Racing| Rumo ao Brasil|  Ruy Ventura | Sandra Carvalho| Sesimbra arqueológica|  Sesimbra Jobs |  Sesimbra Jovem |  Sesimbra, três Freguesias, um Concelho| Se Zimbra|  Simplicidade | Singradura da relinga| Skim Brothers| Sonhar de pés presos à cama|  Tiago Ezequiel |  Tiago Pinhal |  Trans-ferir | Una mirada a la Ria de Vigo|          Varam'ess'aiola |  Ventinhos |


Canoa da Picada