ll

terça-feira, dezembro 19, 2006

Presépios [2]


[ clique para ampliar ]
Misericórdia de Sesimbra.

2 Comentários:

Às 20/12/06 , Anonymous pastor disse...

Noutro tempo, a montra do Lima era a primeira a apresentar os brinquedos que nos fascinavam.
As cortiças do presépio vinham dos estaleiros das armações.
A seara ia crescendo no pratinho, ao ritmo da nossa ansiedade e da inocente crença no Menino Jesus que descia até ao nosso sapatinho.
Era outro tempo, de verdadeiro Natal...

 
Às 20/12/06 , Blogger navegador disse...

eu acho que não!

o Baltazar, só chega para o próximo ano, o Belchior partiu agora do outro lado e o Isaias tambem, tal qual as tartarugas Ninja: Doratelo, Fratelo e Miguel Angelo que tambem eram personagens de ficção.

Na Televisão, diz-se que o Natal é altura das emoções, de partilha , sem interesses , de amor ao próximo e generalizado. Avê maria.

Até o Nodi se assustava, porque não percebia nada disto , e chamava-lhe uma farça muito grande.

Não fosse o "Menino Jesus" que o meu Pai já me tinha dado , este ano tava feito e, é assim todos os anos.

Os preços tão pela hora da morte e parece que a factura ainda irá aumentar + para o próximo ano.

Olha, não há presentes para ninguem, porque irei pelo bacalhau na consoada e este encareceu significativamente.

Outros anos houve, com maior abundância e parece que o meu poder de compra enfraqueceu.No entanto, continuo a ter coração e gostar de quem já gostava antes e isto não se resume as prendas.

Neste caso, para dizer aos meus sobrinhos que este ano não haverá presentes, terei de ser forte.
vou comprar um bolo rei e oferecer a minha irmã e sempre ta fava fica do lado deles.

Assim sendo, nos tempos que correm para se ser religioso e preciso ter formação alta e acima da média. é sim , é sim, essa vos garanto eu.

Na sociedade , já germinada , por fundamentalismos, em que vivemos hoje, não é preciso parecer religioso e , de facto, necessário sê-lo

Para todos os bom natal

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

Aguarelas de Turner|  O amor pelas coisas belas |  Angola em Fotos  Aldrabas e fechaduras| Amigos da Dorna Meca| Amigos de Peniche| André Benjamim| Ao meu lado| Arrábida| (flora) Arrábida| (notícias) Arrastão| @tlanti§| Atlântico Azul| Atitude 180| Badamalos| Banda da SMS|  Barcos do Norte | B. dos Navios e do Mar| Blasfémias| Blue Moon I|  Boa Noite, Oh Mestre! | Canoa da Picada|  Carlos Sargedas |  Caminhos da Memória |  Catharsis |  Caxinas... de Lugar a freguesia  | Cetóbriga| Clube Leitura e Escrita| Coelho sem Toca| Cova Gala|  Crónicas de 1 jornalista | De Rerum Natura|  Desporto Saudável | Dias com Árvores| *** Dona Anita ***| Do Portugal Profundo| El mar és el camí| Espaço das Aguncheiras| Estórias de Alhos Vedros|  Estrada do Alicerce | Expresso da Linha|  Filosofia Extravagante | Finisterra| Flaming Nora| Grão de Areia| Gritos Mudos| Homes de Pedra en Barcos de Pau| Imagem e Palavra| Imagens com água| Imenso, para sempre, sem fim| O Insurgente| J. C. Nero| José Luis Espada Feio|  Jumento  Lagoa de Albufeira| Mar Adentro Ventosga| Magra Carta| Marítimo| Mil e uma coisas| Milhas Náuticas| Molino 42| My Littke Pink World| Nas Asas de um Anjo| Navegar é preciso|  Navios à Vista |  Nazaré | Neca| Nitinha| Noites 100 alcool| Nós-Sela| Nubosidade variabel| O Calhandro de Sesimbra|  Orçadela | Página dos Concursos| Pedras no Sapato|  Pedro Mendes | Pelo sonho é que vamos| Pescador| Pexito do Campo|  A Pipoca mais Doce | Ponto de encontro| Portugal dos Pequeninos|  Praia dos Moinhos |  Quartinete | Reflexus| Rui Cunha Photography| Rui Viana Racing| Rumo ao Brasil|  Ruy Ventura | Sandra Carvalho| Sesimbra arqueológica|  Sesimbra Jobs |  Sesimbra Jovem |  Sesimbra, três Freguesias, um Concelho| Se Zimbra|  Simplicidade | Singradura da relinga| Skim Brothers| Sonhar de pés presos à cama|  Tiago Ezequiel |  Tiago Pinhal |  Trans-ferir | Una mirada a la Ria de Vigo|          Varam'ess'aiola |  Ventinhos |


Canoa da Picada