ll

quinta-feira, agosto 31, 2006

Fauna lusitana: tubarões

Centrophorus lusitanicus
Este peixinho, com o nome científico de Centrophorus lusitanicus, foi descrito pelos naturalistas José Vicente Barbosa du Bocage e F. Brito Capello em 1864; pertence à família centrophoridae, ordem dos esqualiformes e classe dos elasmobranquios (tubarões e raias). Com o nome vulgar de "tubarão lusitano", também há quem lhe chame "lixa" ou "lixa da fundura". Trata-se de um tubarão de águas profundas, entre 300 a 1400 metros, podendo atingir o comprimento de 1,5 metros. Ovovivíparo, dá à luz até seis crias em cada ninhada. Alimenta-se de outras espécies de tubarões, lulas, caranguejos e lagostas.

Um outro tubarão luso é o Centroscymnus coelolepis, conhecido vulgarmente como "tubarão-português", também descrito em 1864 pelos naturalistas Barbosa du Bocage e Brito Capello. É um tubarão de cor acastanhada que atinge 1,20 m de comprimento e que se distribui pelos oceanos Atlântico e Pacífico e mar Mediterrâneo ocidental. É ovovíviparo e dá à luz entre 13 a 29 crias por ninhada. Tendo sido encontrado a mais de 3 mil metros de profundidade, pensa-se que seja a espécie de tubarão que viva a maiores profundidades. Alimenta-se maioritariamente de peixes (incluindo outros tubarões) e cefalópodes.
Centroscymnus coelolepis

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

Aguarelas de Turner|  O amor pelas coisas belas |  Angola em Fotos  Aldrabas e fechaduras| Amigos da Dorna Meca| Amigos de Peniche| André Benjamim| Ao meu lado| Arrábida| (flora) Arrábida| (notícias) Arrastão| @tlanti§| Atlântico Azul| Atitude 180| Badamalos| Banda da SMS|  Barcos do Norte | B. dos Navios e do Mar| Blasfémias| Blue Moon I|  Boa Noite, Oh Mestre! | Canoa da Picada|  Carlos Sargedas |  Caminhos da Memória |  Catharsis |  Caxinas... de Lugar a freguesia  | Cetóbriga| Clube Leitura e Escrita| Coelho sem Toca| Cova Gala|  Crónicas de 1 jornalista | De Rerum Natura|  Desporto Saudável | Dias com Árvores| *** Dona Anita ***| Do Portugal Profundo| El mar és el camí| Espaço das Aguncheiras| Estórias de Alhos Vedros|  Estrada do Alicerce | Expresso da Linha|  Filosofia Extravagante | Finisterra| Flaming Nora| Grão de Areia| Gritos Mudos| Homes de Pedra en Barcos de Pau| Imagem e Palavra| Imagens com água| Imenso, para sempre, sem fim| O Insurgente| J. C. Nero| José Luis Espada Feio|  Jumento  Lagoa de Albufeira| Mar Adentro Ventosga| Magra Carta| Marítimo| Mil e uma coisas| Milhas Náuticas| Molino 42| My Littke Pink World| Nas Asas de um Anjo| Navegar é preciso|  Navios à Vista |  Nazaré | Neca| Nitinha| Noites 100 alcool| Nós-Sela| Nubosidade variabel| O Calhandro de Sesimbra|  Orçadela | Página dos Concursos| Pedras no Sapato|  Pedro Mendes | Pelo sonho é que vamos| Pescador| Pexito do Campo|  A Pipoca mais Doce | Ponto de encontro| Portugal dos Pequeninos|  Praia dos Moinhos |  Quartinete | Reflexus| Rui Cunha Photography| Rui Viana Racing| Rumo ao Brasil|  Ruy Ventura | Sandra Carvalho| Sesimbra arqueológica|  Sesimbra Jobs |  Sesimbra Jovem |  Sesimbra, três Freguesias, um Concelho| Se Zimbra|  Simplicidade | Singradura da relinga| Skim Brothers| Sonhar de pés presos à cama|  Tiago Ezequiel |  Tiago Pinhal |  Trans-ferir | Una mirada a la Ria de Vigo|          Varam'ess'aiola |  Ventinhos |


Canoa da Picada