ll

sábado, junho 17, 2006

Mário Ventura Henriques (1936 - 2006)

Faleceu Mário Ventura Henriques, escritor, jornalista, fundador do Festróia, o festival de cinema que conheceu há dias a 22ª edição. O escritor tinha 70 anos e faleceu em Lisboa.

Mário Ventura Henriques teve uma longa carreira de jornalista, tendo trabalhado no "Diário Popular", no "Diário de Notícias" e na "Seara Nova". Fundou e dirigiu o semanário "Extra" e chefiou a agência noticiosa Europa Press. A partir de 1968 foi correspondente da imprensa espanhola, tendo dirigido a edição portuguesa da revista "Cambio 16".

A sua obra literária conta com mais de 15 volumes, incluindo contos, romances, álbuns e livros de memórias. O livro deste escritor que mais me impressionu foi "Vida e Morte dos Santiagos", publicado em 1985 - uma extraordinária epopeia histórica, localizada no Alentejo.

Conheci Mário ventura Henriques no tempo em que o Festróia ainda tinha lugar em Tróia, e participei nas negociações que levaram à mudança daquele Festival para Setúbal, em 1995, numa altura em que a falência da Torralta ameaçava a sua continuidade. Talvez por causa desse meu modesto papel, fui convidado algumas vezes para membro de alguns dos juris do Festróia, convites que muito me honraram.

Mário Ventura Henriques era um homem simples e profundamente interessado pela vida do seu país. Possuía também um grande sentido de humor e as conversas com ele eram sempre deliciosas oportunidades de convívio franco e bem-humorado. Tinha residência em Setúbal, onde era frequente encontrá-lo nos restaurantes e tascas onde se serve bom peixe, que muito apreciava. Espero que a cidade a quem Mário Vnetura legou esta notável obra cultural - o Festroia - esteja à altura do desafio que a sua morte nos coloca, cuidando da sua manutenção e desenvolvimento.

Livros publicados:
  • Fernando Lopes Graça na música portuguesa contemporânea, 1956
  • A Noite da Vergonha, 1963
  • Água Parada nas Abertas da Lezíria, 1966
  • A Sombra das Árvores Mortas, 1966
  • O Despojo dos Insensatos, 1968
  • Alentejo Desencantado, 1969
  • Outro Tempo Outra Cidade, 1979
  • Morrer em Portugal, 1979
  • Vida e Morte dos Santiagos, 1985
  • Conversas: Diálogos com Escritores, 1986
  • Março Desavindo, 1987
  • Évora e os Dias da Guerra, 1991
  • A Revolta dos Herdeiros, 1997
  • O Segredo de Miguel Zuzarte, 1999
  • Quarto Crescente, 2001
  • Atravessando o deserto, 2002
  • O reino encantado, 2005

  • 1 Comentários:

    Às 3/7/06 , Anonymous Anónimo disse...

    A par dessas caracteristicas tão suas e tão bonitas como a humildade, sentido de humor e espirito revolucionário, Mario Ventura destaca-se pela perspicácia, sentido de justiça e coerência no seu trabalho, nas relações com os outros e na relação com o meio ambiente onde se inseria. Admiravél capacidade de adaptação e aceitação, sem nunca no entanto se resignar, apelando sempre ao potencial e sentimentos nobres das outras pessoas...São muitas as saudades e muita gratidão por me sentir um pouco do tanto que és..Obrigada..O mundo fica mais inseguro e mais à merçê de se corromper sem ti..Adoro-te

     

    Enviar um comentário

    Subscrever Enviar comentários [Atom]

    << Página inicial

    Aguarelas de Turner|  O amor pelas coisas belas |  Angola em Fotos  Aldrabas e fechaduras| Amigos da Dorna Meca| Amigos de Peniche| André Benjamim| Ao meu lado| Arrábida| (flora) Arrábida| (notícias) Arrastão| @tlanti§| Atlântico Azul| Atitude 180| Badamalos| Banda da SMS|  Barcos do Norte | B. dos Navios e do Mar| Blasfémias| Blue Moon I|  Boa Noite, Oh Mestre! | Canoa da Picada|  Carlos Sargedas |  Caminhos da Memória |  Catharsis |  Caxinas... de Lugar a freguesia  | Cetóbriga| Clube Leitura e Escrita| Coelho sem Toca| Cova Gala|  Crónicas de 1 jornalista | De Rerum Natura|  Desporto Saudável | Dias com Árvores| *** Dona Anita ***| Do Portugal Profundo| El mar és el camí| Espaço das Aguncheiras| Estórias de Alhos Vedros|  Estrada do Alicerce | Expresso da Linha|  Filosofia Extravagante | Finisterra| Flaming Nora| Grão de Areia| Gritos Mudos| Homes de Pedra en Barcos de Pau| Imagem e Palavra| Imagens com água| Imenso, para sempre, sem fim| O Insurgente| J. C. Nero| José Luis Espada Feio|  Jumento  Lagoa de Albufeira| Mar Adentro Ventosga| Magra Carta| Marítimo| Mil e uma coisas| Milhas Náuticas| Molino 42| My Littke Pink World| Nas Asas de um Anjo| Navegar é preciso|  Navios à Vista |  Nazaré | Neca| Nitinha| Noites 100 alcool| Nós-Sela| Nubosidade variabel| O Calhandro de Sesimbra|  Orçadela | Página dos Concursos| Pedras no Sapato|  Pedro Mendes | Pelo sonho é que vamos| Pescador| Pexito do Campo|  A Pipoca mais Doce | Ponto de encontro| Portugal dos Pequeninos|  Praia dos Moinhos |  Quartinete | Reflexus| Rui Cunha Photography| Rui Viana Racing| Rumo ao Brasil|  Ruy Ventura | Sandra Carvalho| Sesimbra arqueológica|  Sesimbra Jobs |  Sesimbra Jovem |  Sesimbra, três Freguesias, um Concelho| Se Zimbra|  Simplicidade | Singradura da relinga| Skim Brothers| Sonhar de pés presos à cama|  Tiago Ezequiel |  Tiago Pinhal |  Trans-ferir | Una mirada a la Ria de Vigo|          Varam'ess'aiola |  Ventinhos |


    Canoa da Picada