ll

quinta-feira, março 16, 2006

Memória


[ clique para ampliar ]

Fotografei esta quinta, entre Sampaio e a Maçã, há uns 20 anos, ou mais. Ainda respirava um ar bucólico, mas terras e casa já se encontravam abandonadas. Ou talvez não: por detrás da palmeira distingue-se o que poderia ser uma courela recentemente lavrada.

A fotografia de baixo foi tirada hoje. Uma grande urbanização ocupa já a maior parte do solo, engolindo as ruínas que, recuperadas ou não, hão-de servir de "memória", ou melhor, hão-de servir para acalmar a nossa má consciência.



Compare as edificações: antes e depois.

4 Comentários:

Às 15/3/06 , Anonymous Anónimo disse...

Desculpe lá, mas isso fica na Maçã.

 
Às 15/3/06 , Blogger J.A. disse...

Está desculpado.

 
Às 17/3/06 , Anonymous Anónimo disse...

Em nome de quê j.a.?
Onde está a má consciência?
O problema, é que à quem desconheça o que é consciência.
As fotos, cuja publicação agradeço, falam alto no seu silêncio ensurdecedor.

 
Às 17/3/06 , Blogger J.A. disse...

A má consciência (no sentido de uma culpa mal assumida), na minha interpretação, está em reconhecer que há algo de valor que se destrói (= culpa + remorso), e resolver o problema mantendo uns vestígios, uns "restos" da realidade anterior que supostamente ficam como "memória" desse passado (= remissão).

Sempre existe alguma consciência, pois a sua ausência traduzir-se-ia em simplesmente arrasar tudo.

Estou a falar da sociedade e não de indivíduos. É a sociedade que privilegia a construção destas urbanizações, arrasando as anteriores formas de ocupação do território, mantendo umas "memórias", como aconteceu com a chaminé de uma antiga fabriqueta que foi mantida em Santana. Noutras zonas já tenho visto restos de aquedutos, noras, poços, pórticos, etc, perdidos no meio das urbanizações, em geral fazendo ali uma triste figura.

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

Aguarelas de Turner|  O amor pelas coisas belas |  Angola em Fotos  Aldrabas e fechaduras| Amigos da Dorna Meca| Amigos de Peniche| André Benjamim| Ao meu lado| Arrábida| (flora) Arrábida| (notícias) Arrastão| @tlanti§| Atlântico Azul| Atitude 180| Badamalos| Banda da SMS|  Barcos do Norte | B. dos Navios e do Mar| Blasfémias| Blue Moon I|  Boa Noite, Oh Mestre! | Canoa da Picada|  Carlos Sargedas |  Caminhos da Memória |  Catharsis |  Caxinas... de Lugar a freguesia  | Cetóbriga| Clube Leitura e Escrita| Coelho sem Toca| Cova Gala|  Crónicas de 1 jornalista | De Rerum Natura|  Desporto Saudável | Dias com Árvores| *** Dona Anita ***| Do Portugal Profundo| El mar és el camí| Espaço das Aguncheiras| Estórias de Alhos Vedros|  Estrada do Alicerce | Expresso da Linha|  Filosofia Extravagante | Finisterra| Flaming Nora| Grão de Areia| Gritos Mudos| Homes de Pedra en Barcos de Pau| Imagem e Palavra| Imagens com água| Imenso, para sempre, sem fim| O Insurgente| J. C. Nero| José Luis Espada Feio|  Jumento  Lagoa de Albufeira| Mar Adentro Ventosga| Magra Carta| Marítimo| Mil e uma coisas| Milhas Náuticas| Molino 42| My Littke Pink World| Nas Asas de um Anjo| Navegar é preciso|  Navios à Vista |  Nazaré | Neca| Nitinha| Noites 100 alcool| Nós-Sela| Nubosidade variabel| O Calhandro de Sesimbra|  Orçadela | Página dos Concursos| Pedras no Sapato|  Pedro Mendes | Pelo sonho é que vamos| Pescador| Pexito do Campo|  A Pipoca mais Doce | Ponto de encontro| Portugal dos Pequeninos|  Praia dos Moinhos |  Quartinete | Reflexus| Rui Cunha Photography| Rui Viana Racing| Rumo ao Brasil|  Ruy Ventura | Sandra Carvalho| Sesimbra arqueológica|  Sesimbra Jobs |  Sesimbra Jovem |  Sesimbra, três Freguesias, um Concelho| Se Zimbra|  Simplicidade | Singradura da relinga| Skim Brothers| Sonhar de pés presos à cama|  Tiago Ezequiel |  Tiago Pinhal |  Trans-ferir | Una mirada a la Ria de Vigo|          Varam'ess'aiola |  Ventinhos |


Canoa da Picada