ll

domingo, fevereiro 19, 2006

Coutada

Oriundo das paragens agrestes do interior nordestino, Miguel Torga não deixou escapar a oportunidade de escrever sobre as amenidades do litoral estremenho para ironizar, propondo esta doce província para coutada do lirismo nacional.

     A Estremadura

     «O nosso lirismo devia ser coutado. O País devia consagrar-lhe um parque de reserva, onde fosse proibido dizimar as espécies que ainda restam, deixando-as viver num paradisíaco devaneio, à lei da inspiração. E nenhum sítio mais indicado para isso do que esta província portuguesa, feita de dunas e calcário.

Nos areais onde já D. Dinis trovou, e na pedra mole onde Afonso Domingues, Mateus Fernandes e os Arrudas arquitectaram e esculpiram, poderiam os imaginários e poetas de agora continuar a construir, a lavrar e a rimar endechas. Ao cabo e ao resto, também dos seus artistas vive uma pátria. E ali onde se eternizou o melhor do seu génio, é que era dar-lhes foral. Donos e senhores de Leiria, de Tomar, da Batalha, de Alcobaça e de Óbidos, sentir-se-iam certamente felizes sem grandes encargos para a grei. A terra não é tão boa que se perdesse muito. O iodo do mar tonificar-lhes-ia o sangue, já um pouco delido. E outros túmulos de D. Pedro e D. Inês que rendilhassem, ou meia dúzia de éclogas que escrevessem, era mais um pecúlio a juntar ao património comum. Seriam, afinal de contas, os nossos templários de agora, ou frades bernardes laicos menos nutridos, que os tempos são outros, mas ainda assim vitaminados com boa fruta, curtidos com bom vinho e agasalhados num clima doce.

Poderiam passear à sombra evocadora do grande pinhal que o colega medieval semeou, sonhar nas margens do Lis e do Lena, do Alcoa e do Baça, que são rios encantadores para sonhar, e em Pedrógão, S.Pedro de Muel, Nazaré, S. Martinho, Baleal, Ericeira e Sesimbra tomariam banhos de mar sem perigo de maior. Visitariam Mafra de vez em quando, como penitência, gozariam férias graníticas em Sintra, e os seus retiros espirituais seriam na Arrábida, fora do convento.

Teriam grandes motivos poéticos e humanos à mão de semear, como a vida dos pescadores da Nazaré, as peregrinações a Fátima, a morte lenta à boca dos fornos da Marinha Grande, a trituração das pedras e dos homens para fazer cimento na Maceira, sem falar no clássico manancial de Aljubarrota, assunto que nunca mais acaba - todas as condições, como se vê, para que outro apogeu da nossa cultura surgisse das margas onde ela afinal tem as suas raízes.»

Miguel Torga, "Portugal"
in "Antologia da Terra Portuguesa - Estremadura"
(selecção de Urbano Tavares Rodrigues)

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

Aguarelas de Turner|  O amor pelas coisas belas |  Angola em Fotos  Aldrabas e fechaduras| Amigos da Dorna Meca| Amigos de Peniche| André Benjamim| Ao meu lado| Arrábida| (flora) Arrábida| (notícias) Arrastão| @tlanti§| Atlântico Azul| Atitude 180| Badamalos| Banda da SMS|  Barcos do Norte | B. dos Navios e do Mar| Blasfémias| Blue Moon I|  Boa Noite, Oh Mestre! | Canoa da Picada|  Carlos Sargedas |  Caminhos da Memória |  Catharsis |  Caxinas... de Lugar a freguesia  | Cetóbriga| Clube Leitura e Escrita| Coelho sem Toca| Cova Gala|  Crónicas de 1 jornalista | De Rerum Natura|  Desporto Saudável | Dias com Árvores| *** Dona Anita ***| Do Portugal Profundo| El mar és el camí| Espaço das Aguncheiras| Estórias de Alhos Vedros|  Estrada do Alicerce | Expresso da Linha|  Filosofia Extravagante | Finisterra| Flaming Nora| Grão de Areia| Gritos Mudos| Homes de Pedra en Barcos de Pau| Imagem e Palavra| Imagens com água| Imenso, para sempre, sem fim| O Insurgente| J. C. Nero| José Luis Espada Feio|  Jumento  Lagoa de Albufeira| Mar Adentro Ventosga| Magra Carta| Marítimo| Mil e uma coisas| Milhas Náuticas| Molino 42| My Littke Pink World| Nas Asas de um Anjo| Navegar é preciso|  Navios à Vista |  Nazaré | Neca| Nitinha| Noites 100 alcool| Nós-Sela| Nubosidade variabel| O Calhandro de Sesimbra|  Orçadela | Página dos Concursos| Pedras no Sapato|  Pedro Mendes | Pelo sonho é que vamos| Pescador| Pexito do Campo|  A Pipoca mais Doce | Ponto de encontro| Portugal dos Pequeninos|  Praia dos Moinhos |  Quartinete | Reflexus| Rui Cunha Photography| Rui Viana Racing| Rumo ao Brasil|  Ruy Ventura | Sandra Carvalho| Sesimbra arqueológica|  Sesimbra Jobs |  Sesimbra Jovem |  Sesimbra, três Freguesias, um Concelho| Se Zimbra|  Simplicidade | Singradura da relinga| Skim Brothers| Sonhar de pés presos à cama|  Tiago Ezequiel |  Tiago Pinhal |  Trans-ferir | Una mirada a la Ria de Vigo|          Varam'ess'aiola |  Ventinhos |


Canoa da Picada