ll

quarta-feira, janeiro 11, 2006

Diário de Bordo da "N.S. da Aparecida"


Reconstituição da rota (clique para ampliar)

A página "Rumo ao Brasil" actualizou finalmente o Diário de Bordo da barca "Nossa Senhora da Aparecida". Eis um resumo (pode aceder-se ao texto integral através dos links indicados):

No dia 28 de Dezembro zarparam de Setúbal, tendo encontrado golfinhos ao largo e Sesimbra (às 17 h), fazendo de noite entre 4 e 6 nós. O mar alteroso, no entanto, provocou algumas cambadelas. "O estado de sonolência vegetal é geral a toda a tripulação que não obstante vai realizando as tarefas necessárias ao bom andamento da empreitada."

No dia 29 de Dezembro, depois de um "nascer do sol maravilhoso", navegaram com a vela grande, embora o mar ainda estivesse desencontrado devido à mudança recente da direcção do vento. "O estado geral ainda é caracterizado por alguma falta de iniciativa originado seguramente pelo cansaço físico. A noite manteve-se com visibilidade e o vento certo para encher a vela grande, proporcionando um andamento a 3/7 nós sem grande esforço.
Posição às 13h30: 3657N 00957W.

No dia 30 de Dezembro o vento desapareceu pela madrugada e, depois de esgotadas todas as combinações de velas possíveis, foi ligado o motor como auxiliar de energia. Foi encontrada a solução para os problemas que se tinham detectado na refrigeração do motor. Começam agora a aparecer os primeiros sinais indicadores de alguma estabilidade físico/psíquica - mas no Diário de Bordo surgem algumas referências à possibilidade de algo correr menos bem. Vão-se cruzando com grandes navios, obrigando por vezes a manobras evasivas.
Posição às 14h00: 3551N 1047W.

No dia 31 de Dezembro a temperatura começa a subir, o vestuário aligeira-se e os ânimos sobem. Revela-se que o mecânico Adorindo (ou o filho ?) "chegou a pensar que também vinha na viagem e até hoje ninguém lhe disse que não era para vir". Ouviu-se musica trance e abriu-se o danceflor. Uma chamada prevista de uma estação de televisão não se confirmou, pelo que "a repórter da tal estação TV agora enfrenta a concorrência desmedida de Hanna, que é a mascote insuflável".
Posição às 12h00: 3458N 1130W.

No dia 1 de Janeiro o vento rodou para Norte e aumentou de intensidade. A barca está muito pesada e precisa de motor para andar naquele mar.
Posição às 14h00: 3353N 1220W.

No dia 2 de Janeiro: Posição: 3211N 01304W. A ondulação, que antes era de vagas tipo "carrossel", cresce para "montanha russa", entrando as vagas por trás. O governo da barca levanta problemas: "é do mais difícil que conheço porque o hidráulico do leme, não sei porque razão, é muito desmultiplicado, o que implica grandes rotações da roda de leme para pequenos desvios, obrigando o operador a antecipar-se nas manobras, o que é particularmente difícil quando se navega à popa arrasada com a vela grande."
Faz-se o balanço do mar percorrido (ver mapa acima):
  • 1º dia - 110 milhas
  • 2º dia - 90 milhas
  • 3º dia - 60 milhas
  • 4º dia - 70 milhas
  • 5º dia - 120 milhas

    "Estes barcos de madeira, do tempo da madeira barata, têm um comportamento muito delicado devido também às suas formas e tem muito caché e os ruídos que resultam do seu contacto com as águas são simpáticos e também e só quando olho pela vigia me apercebo do movimento mirabolante em que estamos inseridos."

    A ondulação à passagem de um banco aos 84m fez alguns estragos, nomeadamente um garrafão de 5L azeite entornado assim como diversos alimentos embalados e a granel.

    No dia 3 de Janeiro a posição é de 3038N 01401W. A viagem continua a bom ritmo: "a sensação é de que estamos a apanhar uma boleia oferecida pelo conjunto dos elementos e que estamos a aproveitá-la ao máximo, pois também sabemos que a situação de forte agitação marítima que deve estar por Finisterra cedo estará por estas bandas e temos ainda 180 milhas até Tenerife."

    Devido a rajadas periódicas reduzem o pano:"Toda esta noite prosseguiu alternando períodos em que a barca estabilizava (2 ou 3 minutos) e depois se tornava naquilo que se pode esperar do interior duma máquina de lavar, correndo todos os programas."

    No dia 4 de Janeiro: posição - 2928N 1452W. "A vida decorre com descontracção e não está ausente o facto de que menos de 100 milhas nos separam da terra firme". Animais avistados durante a viagem: uma baleia de grandes dimensões a avaliar pelo tamanho da gruta da qual parecia vir o seu arfar, aos 3 dias de viagem, 1 tartaruga, 1 espécie voadora com cerca de 1kg, de cor branca com gravata preta que voava contra o vento e ficou a pairar sobre a barca tentando adivinhar o que seria aquilo e vários bandos de golfinhos".

    Finalmente. "Terra à vista!" Às 24h00 avistam os clarões de algumas ilhas e é identificada a de Tenerife. "A aproximação à Ilha e depois ao porto foi como a cena de algum filme épico de que não recordo o nome, revelando a "Aparecida" toda a sua pujança ao largo e a todo o pano, com ondulação larga pela alheta. Nestas condições, e a governar com cana de leme, como já fazemos há uns dias, a barca exprime toda a sua personalidade e nós ficamos contentes por isso."

    Posição no dia 5 de Janeiro: 2828N 1414W (Sta. Cruz de Tenerife).

  • 0 Comentários:

    Enviar um comentário

    Subscrever Enviar comentários [Atom]

    << Página inicial

    Aguarelas de Turner|  O amor pelas coisas belas |  Angola em Fotos  Aldrabas e fechaduras| Amigos da Dorna Meca| Amigos de Peniche| André Benjamim| Ao meu lado| Arrábida| (flora) Arrábida| (notícias) Arrastão| @tlanti§| Atlântico Azul| Atitude 180| Badamalos| Banda da SMS|  Barcos do Norte | B. dos Navios e do Mar| Blasfémias| Blue Moon I|  Boa Noite, Oh Mestre! | Canoa da Picada|  Carlos Sargedas |  Caminhos da Memória |  Catharsis |  Caxinas... de Lugar a freguesia  | Cetóbriga| Clube Leitura e Escrita| Coelho sem Toca| Cova Gala|  Crónicas de 1 jornalista | De Rerum Natura|  Desporto Saudável | Dias com Árvores| *** Dona Anita ***| Do Portugal Profundo| El mar és el camí| Espaço das Aguncheiras| Estórias de Alhos Vedros|  Estrada do Alicerce | Expresso da Linha|  Filosofia Extravagante | Finisterra| Flaming Nora| Grão de Areia| Gritos Mudos| Homes de Pedra en Barcos de Pau| Imagem e Palavra| Imagens com água| Imenso, para sempre, sem fim| O Insurgente| J. C. Nero| José Luis Espada Feio|  Jumento  Lagoa de Albufeira| Mar Adentro Ventosga| Magra Carta| Marítimo| Mil e uma coisas| Milhas Náuticas| Molino 42| My Littke Pink World| Nas Asas de um Anjo| Navegar é preciso|  Navios à Vista |  Nazaré | Neca| Nitinha| Noites 100 alcool| Nós-Sela| Nubosidade variabel| O Calhandro de Sesimbra|  Orçadela | Página dos Concursos| Pedras no Sapato|  Pedro Mendes | Pelo sonho é que vamos| Pescador| Pexito do Campo|  A Pipoca mais Doce | Ponto de encontro| Portugal dos Pequeninos|  Praia dos Moinhos |  Quartinete | Reflexus| Rui Cunha Photography| Rui Viana Racing| Rumo ao Brasil|  Ruy Ventura | Sandra Carvalho| Sesimbra arqueológica|  Sesimbra Jobs |  Sesimbra Jovem |  Sesimbra, três Freguesias, um Concelho| Se Zimbra|  Simplicidade | Singradura da relinga| Skim Brothers| Sonhar de pés presos à cama|  Tiago Ezequiel |  Tiago Pinhal |  Trans-ferir | Una mirada a la Ria de Vigo|          Varam'ess'aiola |  Ventinhos |


    Canoa da Picada